Publicidade

Correio Braziliense

Com ordem de prisão, PT antecipa ato com Lula em São Bernardo

O partido está convocando os militantes para uma "vigília permanente em defesa da democracia, da Constituição e de Lula Livre"


postado em 05/04/2018 20:16

(foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press)

 
Previsto para ocorrer na noite desta sexta-feira (6/4), o Partido dos Trabalhadores (PT) antecipou para daqui a pouco ato com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, por causa da determinação da prisão de Lula pelo  juiz Sérgio Moro. O juiz determinou que Lula se apresente à Polícia Federal, em Curitiba, até as 17h desta sexta-feira (6/4). O partido está convocando os militantes para uma "vigília permanente em defesa da democracia, da Constituição e de Lula Livre". 

O ex-presidente passou o dia no Instituto Lula, na capital paulista, acompanhado de integrantes do partido, como a ex-presidente Dilma Rousseff. Ele não conversou com a imprensa, que passou o dia do lado de fora acompanhando a movimentação. O ex-presidente deixou o local por volta das 18h30. Pouco depois, saiu o senador Lindbergh Farias (RJ) que falou com os jornalistas. 

Na porta do instituto, Farias classificou a decisão de Moro de absurda. “Esse negócio foi um absurdo. Ainda tinham os embargos dos embargos na terça-feira e ele antecipou. Isso é um escândalo. Mais um absurdo aí e nós vamos para São Bernardo para estar junto com o presidente”.

Enquanto o senador falava com a imprensa e criticava a decisão de Moro, um homem começou a gritar ofensas ao partido. Uma pessoa que acompanhava o senador empurrou o homem, que acabou batendo a cabeça em um caminhão que passava no local e caindo no chão, com sangramento. A cena foi acompanhada por diversos jornalistas. Uma pessoa que passava pelo local socorreu o homem e o levou para o Hospital São Camilo, que fica em frente ao instituto. O estado de saúde dele não foi informado.

Militantes começaram a chegar ao instituto ao final do dia, assim como policiais militares após a confusão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade