Publicidade

Correio Braziliense

7 ministros deixam cargos; Meirelles ainda não está na lista de exonerações

Meirelles deixou para esta sexta a decisão sobre sair ou não do governo para buscar uma candidatura à Presidência da República nas eleições de outubro


postado em 06/04/2018 12:38 / atualizado em 06/04/2018 12:49

(foto: Evaristo Sa/AFP)
(foto: Evaristo Sa/AFP)
 
O presidente Michel Temer formalizou no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (6/4) a exoneração de sete ministros Com exceção de Dyogo Oliveira, que sai do Ministério do Planejamento para presidir o BNDES, os outros seis deixam os cargos, a pedido, para se desincompatibilizarem e poder concorrer nas eleições deste ano. A nomeação de Dyogo no BNDES ainda não foi publicada. 

Além de Dyogo, foram exonerados os ministros Mendonça Filho (Educação), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia), Osmar Terra (Desenvolvimento Social), Leonardo Picciani (Esporte), José Sarney Filho (Meio Ambiente) e Marx Beltrão (Turismo). Os novos titulares das pastas não foram nomeados na edição desta sexta do Diário Oficial

Meirelles

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles também não está na lista de exonerações já publicada. Mesmo sendo sábado (7/4) o prazo final para desincompatibilização do cargo, Meirelles deixou para esta sexta a decisão sobre sair ou não do governo para buscar uma candidatura à Presidência da República nas eleições de outubro.

Temer e Meirelles marcaram uma conversa final pela manhã. O presidente também já convidou Meirelles a acompanhá-lo em uma viagem a Salvador, seja como candidato seja como ministro. O ministro deve anunciar sua decisão em uma entrevista coletiva.

O Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, também pediu para deixar o cargo e sua exoneração está publicada no Diário Oficial da União

Mais exonerações

O governo publicou também a exoneração do presidente dos Correios, Guilherme Campos Júnior; o presidente do Banco da Amazônia (Basa), Marivaldo Gonçalves de Melo; do diretor da Dataprev Julio Cesar de Araújo Nogueira; do diretor de Gestão de Fundos, Incentivos e Atração de Investimentos da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Carlos Edilson de Almeida Maneschy; e do diretor-geral da Itaipu Binacional, Luiz Fernando Leone Viana. 

Ainda foi exonerado o secretário executivo do Ministério da Saúde, agora comandado por Gilberto Occhi, ex-Caixa. Antonio Carlos Figueiredo Nardi será substituído por Adeilson Loureiro Cavalcante, cuja nomeação já está publicada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade