Publicidade

Correio Braziliense

Ex-deputado vai depor sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco

A investigação tenta relacionar Brazão e uma testemunha-chave do caso, um miliciano que apontou como mandante do crime o vereador Marcelo Siciliano


postado em 14/06/2018 13:38

A polícia investiga se Marielle foi morta para incriminar alguém em particular(foto: Reprodução/Internet)
A polícia investiga se Marielle foi morta para incriminar alguém em particular (foto: Reprodução/Internet)

 
Ex-deputado estadual pelo MDB e conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE) após denúncia de corrupção, Domingos Brazão prestará depoimento nos próximos dias sobre a morte de Marielle Franco (PSOL) e Anderson Gomes. A investigação tenta relacionar Brazão e uma testemunha-chave do caso, um miliciano que apontou como mandante do crime o vereador Marcelo Siciliano (PHS).

Domingos é irmão do vereador Chiquinho Brazão (Avante) e seria desafeto político de Siciliano porque ambos disputariam votos na zona oeste do Rio. Os dois negam as acusações. A polícia investiga se Marielle foi morta para incriminar alguém em particular - ou se alguém se aproveitou do crime para incriminar desafetos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade