Publicidade

Correio Braziliense

Insatisfação com governo Temer cresce, diz pesquisa CNI/Ibope

Esta é a maior rejeição de Temer até o momento


postado em 28/06/2018 10:40

A confiança no governo também caiu, desde o último levantamento(foto: Nelson Almeida/AFP)
A confiança no governo também caiu, desde o último levantamento (foto: Nelson Almeida/AFP)

 
O percentual da população que avalia o governo Michel Temer como ruim ou péssimo cresceu de 72%, em março, para 79% em junho. Esta é a maior rejeição de Temer até o momento. A pesquisa foi realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Ibope, e divulgada na manhã desta quinta-feira (28/6). 

A confiança no governo também caiu, desde o último levantamento. Os que confiam no governo passou de 8% para 6%, e aqueles que não confiam aumentou de 89% para 92%. Enquanto os que aprovam a maneira de governar do presidente passou de 9% para 7%, e os que desaprovam, de 87% para 90%. 

Ainda segundo a pesquisa, a queda na popularidade de Temer é maior no Nordeste.  Apenas nessa região, o percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo teve uma alta de 12 pontos percentuais. Entre os jovens de 16 a 24 anos, esse número também aumentou 10 pontos percentuais, de 72% para 82%. Por outro lado, a insatisfação é menor com aqueles que têm 55 anos ou mais. 

Já entre os entrevistados com até a quarta série da educação fundamental, aqueles que confiam em Temer é 11%, e dos que não confiam é 86%. E os que aprovam sua maneira de governar é de 10%, e dos que não aprovam é 86%. 

“Em comparação com o governo Dilma, cresce de 55% para 63% aqueles que acham que o governo Temer está sendo pior do que o governo Dilma, com destaque para a região Nordeste, onde o presidente tem a menor popularidade”, explicou o gerente executivo de pesquisa e competitividade da CNI, Renato Fonseca. 

O CNI/Ibope também avaliou a percepção do governo por área de atuação, entre meio ambiente, educação, segurança pública, combate à fome e a pobreza, combate à inflação, saúde, combate ao desemprego, taxa de juros e impostos. Em todas as áreas consultadas, mais de 75% dos entrevistados desaprovam as políticas e ações do governo. “É uma piora na popularidade do presidente Michel Temer. Isso fica claro na pergunta de avaliação do governo porque as pessoas têm três opções. E a opção de avaliar o governo como regular cresceu. E é, praticamente, dessa opção que você tem crescimento de 72% para 79% avaliando como ruim ou péssimo. Esse é a rejeição mais alta que ele já teve nessa série histórica do governo Temer”, completou Fonseca. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade