Publicidade

Correio Braziliense

CNJ abre procedimento para apurar conduta de Favreto, Gebran e Moro

Conselho vai apurar se houve falhas e violação de competências durante analise do pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula


postado em 10/07/2018 17:10

Conselho vai apurar se houve falhas e violação de competências durante analise do pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula(foto: Nelson Almeida/AFP)
Conselho vai apurar se houve falhas e violação de competências durante analise do pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula (foto: Nelson Almeida/AFP)

 
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai abrir procedimento para investigar a conduta dos juízes envolvidos no episódio do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, julgado no domingo (08/7), pelo Tribunal Regional Federal (TRF-4). 

O processo será aberto por determinação do corregedor nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, e vai avaliar a atuação do desembargador plantonista do TRF-4, Rogério Favreto, do relator da Lava-jato na Corte, João Pedro Gebran Neto, e do Juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Favreto foi o responsável por determina a soltura do ex-presidente, ao receber o habeas corpus, mesmo em esquema de plantão. Gebran revogou o decisão de Fabreto, mesmo não estando escalado para atuar como plantonista e o juiz Sérgio Moro se manifestou contra a libertação do ex-presidente, determinada pelo desembargador.

O processo do ex-presidente Lula já tramitou pela Primeira e pela Segunda Instância de Justiça. Atualmente, os advogados recorrem da condenação de 12 anos e um mês nos tribunais superiores. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade