Publicidade

Correio Braziliense

Em vídeo no Twitter, Lindbergh Farias nega atuação em favor da OAS

Para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, há indícios de que Lindbergh tenha recebido cerca de R$ 700 mil, entre 2013 e 2014, para defender os interesses da OAS


postado em 17/07/2018 10:31

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) usou sua conta oficial no Twitter, na noite dessa segunda-feira (16/7), para negar que tenha atuado em favor da empreiteira OAS no trâmite de uma medida provisória (MP) durante o governo de Dilma Rousseff.

"Não participei da comissão sobre medida provisória, não fiz nenhum discurso sobre a MP e mais grave: não participei da votação no Plenário. Por algum motivo estão viajando", disse o petista em um vídeo divulgado na rede social. "Este é um ataque claramente político. É um inquérito tão inacreditável que só tem um caminho para ele: vai ser arquivado."
 
 

Para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, há indícios de que Lindbergh tenha recebido cerca de R$ 700 mil, entre 2013 e 2014, para defender os interesses da OAS durante o tramite da MP 600/2012, que tratou sobre as licitações de obras em aeroportos. 

A Procuradoria Geral da República (PGR) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma manifestação para que o inquérito continue tramitando na Suprema Corte. A informação foi revelada nesta segunda-feira (16/7), pelo jornal O Globo

Segundo o Broadcast Político apurou, o ministro Celso de Mello, relator do processo, aceitou o pedido da PGR e enviou o inquérito à Polícia Federal para conclusão das apurações.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade