Publicidade

Correio Braziliense

DC é o primeiro partido a confirmar apoio a Fernando Pimentel

Petista Fernando Pimentel ainda espera ter o apoio do MDB na tentativa de reeleição ao governo de Minas Gerais


postado em 29/07/2018 18:18

O DC em Minas Gerais é o primeiro partido a anunciar apoio à pré-candidatura de reeleição do atual governador, Fernando Pimentel (PT). Durante a convenção da legenda, realizada neste domingo (29/7), o petista disse que ainda está à espera de ter o MDB na coligação e voltou a criticar a campanha do principal adversário na disputa ao Palácio da Liberdade, o senador Antonio Anastasia (PSDB). 

A convenção do DC, um dos partidos da base de apoio ao governo, ocorreu na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. A legenda foi a única, até o momento, a confirmar apoio à candidatura de reeleição de Pimentel. O PT mantém conversas adiantadas com o PR e com o PCdoB. Apesar de ter relação estremecida com o MDB, o governador afirmou que ainda espera os emedebistas entrarem na coligação. 

"Tudo levar a crer que podemos estar juntos na campanha. Estivemos juntos no governo e também por 12 anos na oposição a nossos adversários", declarou Fernando Pimentel, que se reuniu com o presidente provisório do MDB, o deputado federal Saraiva Felipe, na última quinta-feira (26/7). A convenção estadual do PT está marcada para o dia 5 de julho, último dia para a realização das convenções, de acordo com o calendário eleitoral. 

A relação entre MDB e PT ficou estremecida após o presidente da Assembleia Legislativa, Adalclever Lopes (MDB), aceitar a abertura do processo de impeachment contra o governador. O parlamentar também se coloca como pré-candidato ao governo mineiro. 

Além disso, Pimentel voltou a criticar o senador Antonio Anastasia, que foi confirmado pela convenção do PSDB, como candidato ao Palácio da Liberdade, neste sábado (28/7). "Vamos afastar de Minas esse reino da fantasia, a 'Disneylândia' que Aécio e Anastasia criaram aqui", disse Pimentel. Em seu discurso, o governador também defendeu a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato. 

Com uma deputada na Assembleia mineira - Arlete Magalhães - e com o comando da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab), o DC não indicará nomes para composição de chapa petista. O presidente do partido, o empresário Alessandro Marques - que também é presidente da Cohab -, afirmou que recebeu sondagens de todos os pré-candidatos que disputam o Palácio da Liberdade, mas que a legenda preferiu manter a "lealdade". 

"A nossa maior contribuição para a campanha é a demonstração de fidelidade e lealdade aos projetos do governador", explicou Marques. O presidente do DC ainda declarou que o partido espera eleger quatro deputados estaduais e dois federais, "em função do apoio e da valorização dada pelo governador".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade