Publicidade

Correio Braziliense

PSC e Podemos chegam a acordo e Paulo Rabello será vice de Álvaro Dias

A aliança foi firmada após uma longa reunião nesta tarde no diretório nacional do PSC, em Brasília


postado em 01/08/2018 18:15 / atualizado em 01/08/2018 18:27

A coligação foi chamada por Paulo Rabello como a
A coligação foi chamada por Paulo Rabello como a "refundação da república" (foto: Fernando Chaves)

A corrida eleitoral ganhou mais uma chapa de peso nesta quarta-feira (1/8). O Podemos, do senador Álvaro Dias, e o PSC, de Paulo Rabello de Castro, firmaram união para a disputa da Presidência da República. O parlamentar encabeçará a aliança e o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), abandonou a candidatura e será o vice. 

A aliança foi firmada após uma longa reunião nesta tarde no diretório nacional do PSC, em Brasília. A executiva nacional da legenda se reuniu no início da tarde com Álvaro e Paulo Rabello para sacramentar a união. O acordo foi festejado pelo senador. “Agrega a nossa composição política o valor da qualificação técnica indispensável para a promoção das mudanças que o país exige. Por isso, estou, neste momento, mais fortalecido, animado e com muita energia para enfrentar as dificuldades e promovermos a refundação da República”, destacou. 

O acordo foi facilitado devido a convergências nas propostas entre ambos candidatos, destacou Álvaro. “Acolhemos as 20 metas propostas pelo Paulo Rabello, que estão inseridas no nosso programa,trabalhando já durante oito meses. Uma equipe técnica trabalhou e elaborou uma proposta que coincide com as metas essenciais, que são 20. Coincide com o número do partido (PSC). (As propostas) certamente vão dar sustentação ao nosso projeto”, analisou. 

A aliança foi chamada por Paulo Rabello como a “refundação da República”. “Começa com nosso exemplo de trabalharmos presidente e vice em total harmonia em único centro de governo. É apenas um dos elementos novos com os quais queremos dizer que a nova República é fundada em uma nova política e que estamos aqui dando um novo passo para acabar, definitivamente, com a picaretagem na política brasileira”, enfatizou. 

Com a coligação, Paulo Rabello espera ganhar as eleições e criar 10 milhões de empregos. “Para enriquecer os brasileiros e colocar não só comida no prato dos brasileiros, mas para valorizar a família brasileira, a vida de todos e a segurança”, disse. A definição de cabeça de chapa e vice entre Podemos e PSC é apenas a quarta definição até o momento destas eleições. Até então, apenas PSol, PSTU e Democracia Cristã (antigo PSDC) haviam fechado vice.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade