Publicidade

Correio Braziliense

Alckmin é confirmado candidato do PSDB por 99,3% dos votos válidos

Os delegados também aprovaram a coligação com todos os outros oito partidos que compõem a coalizão e a candidatura da vice na chapa, Ana Amélia Lemos (PP-RS)


postado em 04/08/2018 13:24

(foto: Divulgação/PSDB)
(foto: Divulgação/PSDB)
 
O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin foi confirmado como candidato do PSDB à disputa pela Presidência da República. De 310 convencionais presentes, 290 votaram. Foram 288 votos favoráveis, uma abstenção e um ‘não”. Ou seja, o tucano obteve 99,3% dos votos válidos neste sábado (4/8). Os delegados também aprovaram a coligação com todos os outros oito partidos que compõem a coalizão e a candidatura da vice na chapa, Ana Amélia Lemos (PP-RS).

A candidatura de Alckmin é vista pelos tucanos como uma importante frente política para ganhar as eleições. O candidato do partido ao governo de São Paulo, o ex-prefeito da capital paulista João Dória, declarou que ele fará o mesmo pelo Brasil que fez enquanto governador. 

Entre as propostas, uma delas é o trabalho na segurança pública, destacou Dória. “São Paulo conseguiu chegar à primeira posição no índice da melhor segurança pública no Brasil. O mesmo bom exemplo que fez na educação, na saúde, no estado. E o segundo grande projeto, entre muitos que ele fará, é a geração de emprego. O que os brasileiros mais querem e desejam é emprego, não assistencialismo. E Geraldo Alckmin sabe fazer isso, disse. 

O ex-presidente nacional do PSDB e senador Tasso Jereissati (CE) classificou Alckmin como o candidato capaz de colocar o país de volta ao rumo do crescimento econômico e de valores morais. “Em determinado momento, fiquei muito desiludido com o futuro deste país. Nunca esteve tão mal moralmente, na economia, nos valores. Nunca esteve tão mal no seu amor próprio. Mas, hoje, quero confessar aqui que estou muito otimista. Conseguimos passando por todas as dificuldades, por todas as incompreensões, fazer uma chapa que, com certeza, orgulha nosso partido e país”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade