Publicidade

Correio Braziliense

Opinião: quando o debate saiu do script

Editor do Correio Braziliense analisa o primeiro debate televisivo realizado após o início da campanha eleitoral


postado em 18/08/2018 00:59


Um debate eleitoral na televisão é preparado dias antes. As equipes de campanha dos candidatos combinam as regras e, a partir delas, estabelecem as estratégias.

O segundo debate da série com os presidenciáveis, na Rede TV, parecia seguir o script, sem maiores emoções. O maior exemplo da combinação foi a escolha de quem perguntava para quem. Os políticos se dividiram em duplas.

Geraldo Alckmin perguntava para Ciro Gomes, que perguntava para Alckmin. Marina Silva e Alvaro Dias. Jair Bolsonaro, Cabo Daciolo. Henrique Meirelles, Guilherme Boulos.

Mas, por um momento, tudo mudou. Marina foi para cima do Bolsonaro ao retrucar uma resposta dele sobre as mulheres e as regras trabalhistas. "Quando a gente é presidente, não pode fazer vista grossa, dizer que não precisa se preocupar. Precisa se preocupar. Precisa ser contra a injustiça", disse Marina para Bolsonaro.

O capitão ficou irritado, partiu para a grosseria contra uma mulher, perdeu. Ponto alto do debate. Ponto para a candidata da Rede.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade