Publicidade

Correio Braziliense

Alckmin leva tombo em ato de campanha em Brasília

Com uma criança no colo, Alckmin perdeu o equilíbrio quando outras crianças se enroscaram em suas pernas


postado em 17/09/2018 18:19 / atualizado em 17/09/2018 18:48

(foto: Evaristo Sa/AFP)
(foto: Evaristo Sa/AFP)
 

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, levou um tombo ao visitar, nesta segunda-feira, 17, a creche Alecrim, na Cidade Estrutural, nos arredores de Brasília.

Com uma criança no colo, Alckmin perdeu o equilíbrio ao entrar na brinquedoteca da creche, quando outras crianças se enroscaram em suas pernas. Ele tropeçou e foi ao chão de joelhos. Ninguém se machucou.

O tombo de Alckmin, registrado por fotógrafos, ocorre no momento de crise na campanha tucana. Nesta terça-feira, por exemplo, dirigentes do Centrão -- bloco formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade -- vão se reunir com o ex-governador de São Paulo para cobrar mudanças na propaganda eleitoral.

"É um grande risco para o Brasil ficar no segundo turno com PT e Bolsonaro", disse Alckmin nesta segunda, em uma referência ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que lidera as pesquisas. "Temos de evitar que isso ocorra. O Brasil vive uma situação muito difícil, muito grave e precisamos ter grande empenho para poder tirar o País dessa crise e avançar".

Divulgada hoje, a pesquisa do instituto MDA, encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostrou Bolsonaro com 28,2% das intenções de voto. O candidato do PT, Fernando Haddad, aparece em segundo lugar, com 17,6% das preferências. Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro, com 10,8%. Por esse levantamento, Alckmin está na quarta posição, com 6,1%, tecnicamente empatado com Marina Silva (Rede), com 4,1%.

A tensão no comitê tucano aumentou desde a semana passada, quando sondagens eleitorais indicaram que Alckmin não está conseguindo reagir.

Na creche comunitária, mantida por doações, o tucano disse que quer ser "o presidente da primeira infância" e procurou minimizar o desempenho aquém das expectativas, após pouco mais de duas semanas de propaganda na TV.

"Eleição é só no dia 7 de outubro. Vamos ter muita oscilação até lá e acho que vamos chegar ao segundo turno. Intenção de voto é por ondas, como nas eleições anteriores. As grandes ondas vão ser bem próximas do processo eleitoral. Acho que lá na frente caminharemos para a racionalidade", afirmou o candidato do PSDB, insistindo no discurso de que o voto em Bolsonaro é um "passaporte" para o retorno do PT ao poder.

 

Embaixadores

 

Mais cedo, Alckmin apresentou as propostas de seu eventual governo a embaixadores de cerca de 30 países em um almoço na capital federal. Ele também respondeu a perguntas dos diplomatas, que queriam saber suas principais ações para áreas como combate à corrupção, diminuição da violência e questões de política e comércio exterior. 


De acordo com o embaixador brasileiro Rubens Barbosa, que acompanhou a comitiva de Alckmin, o tucano garantiu aos diplomatas que irá dar prioridade para as questões levantadas por eles e afirmou querer ampliar o comércio e as relações com outros países aliados. 

Alckmin já havia defendido a ampliação dos acordos internacionais para o comércio exterior como forma de recuperar o emprego e retomar a atividade econômica do país.

À reportagem, o embaixador da União Europeia no Brasil, João Cravinho, afirmou que esse tipo de encontro é uma oportunidade boa para que os outros países conheçam e entendam melhor os candidatos à Presidência do Brasil. "Somos também democracias e respeitamos a democracia brasileira. Compartilhamos valores e esperamos que eles sejam mantidos", disse.

O almoço foi realizado na casa oficial de Cravinho. O grupo de diplomatas já fez encontros semelhantes com os candidatos à Presidência Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede). 

Fontes que participaram dos encontros afirmaram à reportagem que os embaixadores demonstraram ter ficado mais satisfeitos com as apresentações de Ciro Gomes e Alckmin. Em relação a Bolsonaro, o corpo diplomático estrangeiro demonstrou certa preocupação. 

Alckmin tem realizado uma série de agendas em Brasília nesta segunda. Pela manhã, ele assinou um termo de compromisso com investimentos para a primeira infância. O documento foi elaborado pela Rede Nacional de Primeira Infância e pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade