Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Federal toma novo depoimento de esfaqueador de Bolsonaro

Além de ouvir Bispo, a PF ainda trabalha na análise do material apreendido com ele e nas quebras de sigilo feitas com autorização da Justiça


postado em 18/09/2018 12:43 / atualizado em 18/09/2018 13:34

(foto: Reprodução da Internet)
(foto: Reprodução da Internet)
 

 

O delegado Rodrigo Morais ouviu, na segunda-feira (17/9), o autor do atentado ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), Adelio Bispo. Delegado Regional de Combate ao Crime Organizado de Minas Gerais, Morais foi até o presídio federal de segurança máxima em Campo Grande (MS) para tomar o depoimento de Bispo no âmbito do inquérito sobre o atentando ao candidato. A informação foi revelada pelo G1 e confirmada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Bolsonaro foi golpeado na tarde do dia 6 de setembro quando fazia campanha no centro de Juiz de Fora, em Minas. Ele foi operado no município mineiro e depois transferido para Hospital Albert Einsten, em São Paulo. Na Quarta-feira passada, dia 12, o candidato passou por uma nova cirurgia, mas se recuperou e, atualmente, está na unidade de tratamento semi-intensiva do hospital paulistano.

Além de ouvir Bispo, a PF ainda trabalha na análise do material apreendido com ele e nas quebras de sigilo feitas com autorização da Justiça. Como afirmou o ministro da Segurança Pública Raul Jungmann na semana passada, esse inquérito deve ser encerrado e um novo será aberto para que a apuração sobre o contexto do ataque tenha seguimento.

A abertura desse novo inquérito deve ser realizada ainda nesta semana. O primeiro inquérito será encerrado porque tem o prazo de encerramento mais curto pelo fato do principal investigado estar preso.

O novo depoimento estava previsto desde a semana passada e tem como objetivo ouvir o autor após a coleta das primeiras informações durante as diligências posteriores ao crime.

Em nota divulgada no início da semana passada, a a PF informou que continuava a "coleta de depoimentos, análise de dados financeiros e de outros dados existentes em imagens, mídias, computadores, telefones e documentos apreendidos".

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade