Publicidade

Correio Braziliense

Raquel Dodge denunciou 144 pessoas em um ano, diz MPF

Procuradora assumiu o comando do Ministério Público em setembro do ano passado e divulgou balanço da gestão


postado em 18/09/2018 16:25

Raquel Dodge também arquivou 164 ações em sua gestão(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Raquel Dodge também arquivou 164 ações em sua gestão (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou 46 denúncias durante o primeiro ano que ficou a frente do Ministério Público Federal (MPF). Quatro ações ocorreram no âmbito da Operação Lava-jato. No total, essas denúncias envolveram 144 pessoas, sendo que 98 pessoas foram denunciadas no Supremo Tribunal Federal (STF) e 46 ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os dados foram apresentados na tarde desta terça-feira (18/9), em Brasília.

Apesar da produtividade, que representa média de uma denúncia por semana, na gestão Dodge também foram arquivadas 164 ações. Raquel Dodge alegou que os arquivamentos ocorreram após profunda análise dos casos e que estão "bem fundamentados".

A procuradora não divulgou o número de acordos de delação premiada que foram firmados desde que ela tomou posse, em 18 de setembro do ano passado. Ela também evitou comentar se ocorreu redução no número de delações firmadas pelo MPF. "As colaborações continuaram a ser feiras, as colaborações que estavam já prontas passaram a ser executadas tanto no tocante a instaurar os inquéritos que apuravam os fatos revelados quanto a garantir ao colaborador o prêmio que lhe era devido", afirmou.

O MPF pediu, no período, abertura de inquérito para apurar o possível cometimento de crimes por pessoas que tem foro privilegiado. Também foi solicitada a aplicação imediata da pena para condenados conhecidos, como Paulo Maluf, João Rodrigues e Ivo Cassol.  

19.062 manifestações judiciais e extrajudiciais foram apresentadas pelo MPF, sendo que 14.663 foram enviadas aos tribunais superiores.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade