Publicidade

Correio Braziliense

Deputado da tatuagem de Temer tem candidatura barrada por ser ficha suja

Impedido de concorrer por causa de uma condenação na Justiça Eleitoral, Wladimir Costa recorre da decisão. 'A luta continua, maninhos', disse


postado em 19/09/2018 10:24

Wladimir Costa ficou famoso pela tatuagem de Temer, que era fake (foto: Reprodução Facebook)
Wladimir Costa ficou famoso pela tatuagem de Temer, que era fake (foto: Reprodução Facebook)

O deputado federal Wladimir Afonso da Costa Rabelo, que fez e apagou uma tatuagem com o nome do presidente Michel Temer (MDB) no ano passado, não vai poder disputar uma vaga no Senado. Por ser ficha suja, o parlamentar que ficou conhecido como o deputado da tatuagem e se apresenta como Wlad teve o pedido de registro para concorrer negado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará.
 
Pelas redes sociais, Wladimir Costa classificou o indeferimento de sua candidatura a perseguição política e à “podridão dos poderes”, que não aceitam sua possibilidade de vitória. “`A (sic) luta continua maninhos”, disse o candidato que se intitula “senador do povão”.

O TRE do Pará barrou a candidatura do aliado de Temer com base na Lei da Ficha Limpa. 

O deputado da tatuagem é réu no Supremo Tribunal Federal por crime de peculato, acusado de empregar funcionários fantasmas em seu gabinete parlamentar.  
 
Mas o motivo do indeferimento é que ele tem uma condenação pelo TRE do Pará por abuso de poder econômico na eleição de 2014.  A Justiça Eleitoral decidiu pela cassação do parlamentar em dezembro do ano passado, quando também o tornou inelegível por oito anos.

Wlad ficou conhecido como o deputado da tatuagem por gravar o nome do presidente Michel Temer no ombro, quando a Câmara dos Deputados votou denúncias contra o emedebista. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade