Publicidade

Correio Braziliense

Investigação da PF indica que Adelio, agressor de Bolsonaro, agiu sozinho

Após ouvir mais de 30 pessoas, quebrar os sigilos financeiro, telefônico e telemático de Adelio, o delegado federal Rodrigo Morais e sua equipe não encontraram nenhum indício de que o autor da facada tenha agido a mando de outra pessoa ou grupo


postado em 24/09/2018 07:49 / atualizado em 24/09/2018 08:15

A PF também não encontrou nenhuma movimentação suspeita ao analisar as contas bancárias de Adelio(foto: Reprodução/Facebook)
A PF também não encontrou nenhuma movimentação suspeita ao analisar as contas bancárias de Adelio (foto: Reprodução/Facebook)
 

 

O relatório final da Polícia Federal (PF) no inquérito que investiga o atentado a Jair Bolsonaro deve apontar que Adelio Bispo de Oliveira agiu sozinho ao decidir atacar o presidenciável em Juiz de Fora (MG). O relatório deve ser concluído nesta semana.

Após ouvir mais de 30 pessoas, quebrar os sigilos financeiro, telefônico e telemático de Adelio, o delegado federal Rodrigo Morais e sua equipe não encontraram nenhum indício de que o autor da facada tenha agido a mando de outra pessoa ou grupo.

A PF também não encontrou nenhuma movimentação suspeita ao analisar as contas bancárias de Adelio. Um depósito em espécie que seria anormal para o agressor, descobriu-se, era referente a um acerto trabalhista. O cartão de crédito internacional, encontrado na pensão onde ele se hospedou, nunca havia sido utilizado.

A Federal continuará a investigação em um novo inquérito a ser instaurado que vai analisar novamente todas as informações coletadas e fazer uma devassa nos dois últimos anos da vida de Adélio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade