Publicidade

Correio Braziliense

PSDB pediu auditoria nas urnas em 2014 e nada foi encontrado, diz Jungmann

Ministro disse que não existem razões para que a segurança do pleito que ocorre no próximo domingo seja questionada


postado em 01/10/2018 11:43 / atualizado em 01/10/2018 12:17

Jungmann lembrou que quando o Brasil utilizava urnas onde eram depositadas cédulas de papel, ocorriam muitas acusações de fraude(foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)
Jungmann lembrou que quando o Brasil utilizava urnas onde eram depositadas cédulas de papel, ocorriam muitas acusações de fraude (foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)

 
O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou, nesta segunda-feira (1°/10), durante inauguração de um centro integrado de comando e controle das eleições, que não existem motivos para que o eleitor desconfie da segurança das urnas eletrônicas. 

De acordo com o ministro, nas eleições de 2014 o PSDB solicitou uma auditoria das urnas, e nenhum problema foi encontrado. "Na última eleição geral, um partido, o PSDB, questionou o resultado do pleito. A legenda solicitou uma auditoria, o TSE abriu o sistema da urna e nada foi encontrado", disse.

Jungmann lembrou que quando o Brasil utilizava urnas onde eram depositadas cédulas de papel, ocorriam muitas acusações de fraude. "Talvez os mais novinhos aqui não lembrem. Mas quando eu era jovem, havia a votação com a cédula de papel. Sempre ocorriam situações que colocavam em questionamento a integridade do pleito", completou.

O diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, afirmou que a PF realizou testes no sistema da urna eletrônica. "A PF participa dos testes do TSE, com peritos avaliando a segurança da urna. Nada foi encontrado. Evidentemente, se ocorrer alguma suspeita, a urna pode ser auditada, e passar por nova avaliação", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade