Publicidade

Correio Braziliense

'Teremos 2º turno, mas não sei quem será o eleito', diz presidente do Ibope

Ele afirmou que esta eleição mostrou que o sistema está ultrapassado e sugere que o próximo presidente promova urgentemente uma reforma política, que para ele é mais importante do que a previdenciária


postado em 01/10/2018 16:10 / atualizado em 01/10/2018 16:12

(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)
(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)

O presidente do Ibope, Carlos Montenegro, disse nesta segunda-feira, dia 1º, que nunca viu eleição "tão esquisita" como a atual, mas que é praticamente certo que o brasileiro terá que ir às urnas também no segundo turno para eleger o presidente da República e alguns governadores. Ao contrário de outras eleições, o executivo afirmou não saber quem poderá sair vitorioso.

"Dia 28 de outubro o brasileiro vai votar no segundo turno, e não tenho a menor ideia de quem vai ser o presidente da República", disse Montenegro durante almoço com empresários na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).

Ele afirmou que esta eleição mostrou que o sistema político está ultrapassado e sugere que o próximo presidente promova urgentemente uma reforma política, que para ele é mais importante do que a reforma previdenciária.

"Através de uma fadiga de muitos anos, o nosso sistema político chegou ao seu limite máximo, tem que mudar", disse Montenegro. "Com isso temos uma eleição que mostra dois candidatos bem destacados para frente para serem eleitos e também na rejeição", avaliou.

Segundo Montenegro, essa poderá ser a eleição mais difícil da vida dele, em que muitos candidatos a presidente tem menos votos que os indecisos.

"Alguns candidatos estão sendo superados por 40% de indecisos, e por acaso o terceiro e quarto, Ciro e Alckmin, vêm bem longe do primeiro e do segundo nas simulações", explicou.

Para ele, o segundo turno será a disputa da rejeição com o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, contra a rejeição ao PT. "O PT tem que torcer noite e dia para enfrentar o Bolsonaro", afirmou, em referência à rejeição do deputado federal, que ainda é superior à de Fernando Haddad, candidato do Partido dos Trabalhadores.

Montenegro afirmou que durante as pesquisas tentou entender porque o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda continuava com um terço da população a favor. "Fizemos pesquisas qualitativas que mostraram que o povo vota no Lula porque ele proporcionou água, luz e benefícios para uma população que nunca tinha recebido nada". Ele informou que os votos do PT se destacam nos Estados do Ceará, Bahia e Piauí.

O Ibope divulga nesta segunda-feira uma nova pesquisa eleitoral e outra na quarta-feira (3), sendo a última prevista para o próximo sábado, véspera as eleições.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade