Publicidade

Correio Braziliense

Datafolha: Bolsonaro cresce três pontos e chega a 35%; Haddad é o segundo

A pesquisa ouviu 10.178 pessoas entre ontem (1/10) e hoje (2/10) em 387 municípios de 27 unidades da Federação. Considerando apenas os votos válidos, Bolsonaro tem 39%, 11 pontos percentuais a menos do que o necessário para vencer no primeiro turno


postado em 04/10/2018 19:56 / atualizado em 04/10/2018 20:23

(foto: AFP)
(foto: AFP)

Em nova pesquisa do Instituto Datafolha, o candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro (PSL), ampliou a vantagem na corrida presidencial. Em comparação com o levantamento divulgado na última terça-feira (2/10), o deputado federal cresceu três pontos percentuais e chegou a 35%. Em segundo lugar está Fernando Haddad (PT), com 22%, um ponto percentual a mais do que o registrado dois dias atrás.

Encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo e pela Rede Globo, a pesquisa ouviu 10.930 pessoas entre ontem (1/10) e hoje (2/10) em 389 municípios de 27 unidades da Federação, ao custo de R$ 398.344. A margem de erro é de dois pontos percentuais. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que há 95% de chance de os resultados refletirem o atual momento eleitoral. O número de registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-02581/2018. 

Ciro Gomes (PDT) aparece em terceiro lugar, com 11%, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 8%. Marina Silva (Rede) tem 4%; João Amoêdo (Novo), 3%; Alvaro Dias (Podemos), 2%; Henrique Meirelles (MDB), 2%; e Cabo Daciolo, 1%. Guilherme Boulos (PSol), João Goulart Filho (PPL), Vera Lúcia (PSTU) e José Maria Eymael (DC) não pontuaram. Brancos e nulos somam 6%, enquanto 5% não sabem ou não responderam.


 
Excluindo brancos, nulos e indecisos, Bolsonaro atinge 39% dos votos válidos — a forma utilizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para divulgar os resultados. Dessa forma, a três dias do primeiro turno, Bolsonaro precisa crescer mais 11 pontos percentuais para evitar o segundo turno. Segundo a pesquisa, Haddad tem 25% dos votos válidos; Ciro, 13%; Alckmin, 9%; Marina, 4%; Amôedo, 3%; Meirelles, 2%; Alvaro Dias, 2%; Daciolo, 1%; Boulos, 1%. Vera Lúcia, João Goulart Filho e Eymael não pontuaram nos votos válidos.



O Datafolha mediu ainda a rejeição dos candidatos. Bolsonaro lidera, com 45% dos eleitores afirmando que não votariam nele em hipótese alguma. Haddad é o segundo, com 40%. Na sequência, aparecem Marina (28%), Alckmin (24%), Ciro (21%), Meirelles (15%), Boulos (14%), Cabo Daciolo (14%), Alvaro Dias (13%), Vera Lúcia (13%), Eymael (12%), Amoêdo (11%) e João Goulart Filho (11%).


O instituto simulou ainda quatro cenários de segundo turno. Haddad perde em todos eles. É derrotado por Bolsonaro (44 x 43) e Alckmin (42 x 38). Já o candidato do PSL seria suplantado por Ciro (48 x 42) e Alckmin (43% X 42%) em uma eventual segunda rodada de votações. O Datafolha deixou de incluir Marina nas simulações de segundo turno, depois da queda acentuada nas intenções de votos da candidata da Rede.
 
Como pontuou cada um
Confira o desempenho dos candidatos comparando com a pesquisa anterior (2/10)
 
Jair Bolsonaro (PSL): 32% para 35%
Fernando Haddad (PT): 21% (manteve)
Ciro Gomes (PDT): 11% (manteve)
Geraldo Alckmin (PSDB): 9% para 8%
Marina Silva (Rede): 4% (manteve)
João Amôedo (Novo): 3% (manteve)
Álvaro Dias (Podemos): 2% (manteve)
Henrique Meirelles (MDB): 2% (manteve)
Cabo Daciolo (Patriota): 2% para 1%
 Guilherme Boulous (PSol): não pontuou
Vera Lúcia (PSTU): não pontou
João Goulart Filho (PPL): não pontuou
José Maria Eymael (DC): não pontuou
Brancos e nulos: 8% para 6%
Não sabe/não respondeu: 5%

Cenários do segundo turno
Geraldo Alckmin (PSDB) 43% x 42% Jair Bolsonaro (PSL)
Branco/nulo/nenhum:15%

Ciro Gomes (PDT) 48% x 42% Jair Bolsonaro (PSL)
Branco/nulo/nenhum: 10%

Jair Bolsonaro (PSL) 44% x 43% Fernando Haddad (PT)
Branco/nulo/nenhum: 13%

Alckmin (PSDB) 42% x 38% Fernando Haddad (PT)
Branco/nulo/nenhum: 20%

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade