Publicidade

Correio Braziliense

Campanha de Bolsonaro pede ajuda de eleitores para fiscalizar urnas

Em vídeo, o presidente do PSL, Gustavo Bebianno, pede para que os eleitores peçam acesso ao boletim das urnas eleitorais


postado em 05/10/2018 20:21 / atualizado em 05/10/2018 20:21

(foto: Nelson Almeida/AFP)
(foto: Nelson Almeida/AFP)

A campanha do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) está convocando eleitores do candidato a fiscalizarem as urnas de votação. Em vídeo gravado pelo presidente do partido, Gustavo Bebianno, e divulgado no site do PSL, ele pede que "meia hora antes do encerramento do horário da sessão", os eleitores compareçam a sua zona eleitoral e peçam acesso ao boletim de urna. Confira:

 



"É muito importante para nós fazer a totalização paralela dos votos para que, no futuro, caso necessário, possamos tomar as medidas judiciais cabíveis perante ao TSE", afirma.

A iniciativa é chamada por ele de "fiscais do Jair", que podem ser voluntários ou oficiais. "Mais informações sobre como proceder vocês podem ver no site", afirma.

Bebianno justifica que o sistema eleitoral brasileiro "não nos confere o nível de segurança e de certeza". "Dia 7 é o dia de nós cumprimos a nossa obrigação para com o Brasil. No entanto, isso não basta. Todos nós sabemos que as urnas eletrônicas, que o nosso sistema eleitoral, não nos confere o nível de segurança e de certeza que nós gostaríamos de ter, o que pode comprometer a democracia brasileira", diz.

O site explica que, por meio de um aplicativo, o "fiscal do Jair" pode escanear o boletim de urna. "O aplicativo lê o QR Code dos Boletins de Urna (BU) impressos nas Seções Eleitorais após o encerramento da votação oficial às 17 horas. Os BUs lidos são transmitidos e gravados em um servidor para uma totalização paralela. Atenção: O app Totalização Paralela é uma iniciativa independente. O PSL não se responsabiliza pelos dados coletados, sua divulgação ou armazenamento. Apoiamos esta iniciativa por acreditar que ela pode colaborar para a fiscalização das eleições, o que é benéfico para a sociedade e a democracia", explica o site.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade