Publicidade

Correio Braziliense

Imprensa internacional traz eleição no Brasil em destaque

Os textos trazem o contexto quase "bélico" em que é realizado o pleito presidencial, com foco principalmente no candidato do PSL, Jair Bolsonaro, seguido de Fernando Haddad (PT), que são os mais bem posicionados nas pesquisas de intenção de voto


postado em 07/10/2018 16:12

(foto: Fernando Souza/AFP)
(foto: Fernando Souza/AFP)
A eleição no Brasil é destaque, neste domingo (7/10), na imprensa internacional, com matérias nas principais home pages dos portais de grandes veículos de comunicação na Europa, nos Estados Unidos e na América Latina. Os textos trazem o contexto quase "bélico" em que é realizado o pleito presidencial, com foco principalmente no candidato do PSL, Jair Bolsonaro, seguido de Fernando Haddad (PT), que são os mais bem posicionados nas pesquisas de intenção de voto. 

O site do jornal The New York Times (NYT) dedica a maior parte de sua reportagem à ascensão de Bolsonaro à liderança das pesquisas. "Seu êxito desafia as leis da gravidade política. Até pouco tempo era somente um provocador às margens do poder que conseguiu como parlamentar durante sete mandatos, mas dominou a cena midiática quando se converteu em um defensor da ditadura militar", afirma o texto do NYT, ressaltando o uso de "ataques verbais" do candidato contra mulheres, homossexuais e mulheres negras "em um país onde a maioria da população não é branca".

A reportagem, traçando ainda um paralelo com a estratégia do presidente norte-americano Donald Trump, diz que Bolsonaro soube aproveitar-se do profundo ressentimento do eleitor com a classe política. "Sua figura canaliza o ódio dos brasileiros em relação ao elevado nível de corrupção ao se apresentar como o único candidato suficientemente duro para combatê-la", afirma a matéria.

Segundo o texto, os críticos de Bolsonaro dizem ver tendências autoritárias no capitão reformado do Exército, que prometeu designar generais para diversos cargos e que fala com grande admiração sobre a ditadura brasileira (1964-1985). "Se levarmos a sério, a democracia no Brasil corre sério risco", afirmou a escritora, historiadora e catedrática da Universidade de São Paulo Lília Schwarcz ao NYT.

O francês Le Figaro apresenta várias matérias sobre as eleições no Brasil, sendo a mais recente sob o título "Brasil: por que o candidato de extrema direita é o favorito na eleição presidencial". Após informações iniciais sobre o complicado contexto econômico e social em que ocorrem as eleições, o texto trata da crise política brasileira, dedicando espaço especial ao histórico da candidatura impugnada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seguida pelo perfil de outros candidatos mais à esquerda, como Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). Na sequência, dois parágrafos são dedicados a Bolsonaro, a quem atribuem a defesa de "um programa econômico ultraliberal, com privatização de empresas estatais, mas autoritário e conservador em questões sociais e de segurança".

Na Argentina, o site do La Nación dedica toda uma área à eleição brasileira em sua home page. Ao lado de uma matéria sobre o clima no dia de votação neste domingo, com os dados das últimas pesquisas de intenção de voto, outra destaca o momento da votação dos dois candidatos, com foto registrando o momento de voto de Bolsonaro. Internamente, no texto, há foto da chegada de Haddad para votar em São Paulo. Ainda na front page, há um texto mais analítico sobre como o resultado da eleição deve ter impacto sobre a economia e nas relações comerciais com a Argentina.

Ainda na Argentina, matéria do site do Clarín sobre a eleição brasileira trata das expectativas de Bolsonaro, com o título "Jair Bolsonaro votou e espera ganhar no primeiro turno: 'No dia 28 de outubro estarei na praia'", com fotos do momento de votação do presidenciável. Mais abaixo, o texto traz Fernando Haddad, também com fotos e vídeos no momento do voto. "Há quem não queira segundo turno para que não haja comparação", afirmou Haddad antes de votar em São Paulo, segundo o texto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade