Publicidade

Correio Braziliense

Mensagens falsas relacionadas a votação se espalham pelas redes sociais

Informações inverídicas são, em maioria, relacionadas aos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)


postado em 07/10/2018 16:37

(foto: Nelson Almeida/AFP)
(foto: Nelson Almeida/AFP)

 
Centenas de mensagens com supostas fraudes no processo de votação deste ano se espalham pelas redes sociais desde que os portões das sessões eleitorais foram abertos, neste domingo (7/10). Uma das mensagens aponta um urna que completaria o voto sozinha. De acordo com a mensagem, divulgada em vídeo, ao apertar o número 1, automaticamente o equipamento completaria com o número 3, do candidato Fernando Haddad (PT).

No entanto, o vídeo deixa de filmar o teclado por alguns segundos, tempo suficiente para que a tecla 3 fosse apertada por qualquer pessoa. As imagens foram publicadas no Twitter pelo deputado Flávio Bolsonaro, filho do deputado Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência. Ele apagou a publicação algumas horas depois, após ser contatado por autoridades da Justiça Eleitoral informando que se trata de um boato.

Centenas de áudios com acusações de fraudes nas eleições se espalham pela internet, principalmente por meio de aplicativos de mensagens. Muitas falam sobre a suposta ausência da opção "confirma" na urna quando se digita os números para votar no candidato Jair Bolsonaro. Um vídeo feito em Minas Gerais mostra policiais chamados para investigar esse suposto problema em uma urna.  

A Polícia Federal informou que a Diretoria de Inteligência da corporação "segue monitorando possíveis ocorrências de fake news, que poderão, se confirmadas, gerar respectivos procedimentos judiciais". 

Votos anulados


Uma grande quantidade de mensagens, que inclusive tem chegado ao TSE, afirmam que alguns eleitores tiveram o voto anulado ao apertarem os números relacionados ao deputado Jair Bolsonaro. O TSE informou que esses casos serão investigados pelas autoridades competentes. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade