Publicidade

Correio Braziliense

Plantão da AGU não identifica ações que prejudiquem as eleições

300 advogados foram colocados para monitorar todos os tribunais do país até o fim do processo eleitoral


postado em 07/10/2018 16:50

(foto: Marilia Lima/CB/D.A Press)
(foto: Marilia Lima/CB/D.A Press)
A Advocacia-Geral da União (AGU) informou na tarde de hoje (710), às 15h37, não ter identificado nenhuma ação ou liminar (decisão provisória) com potencial de prejudicar o andamento das eleições.

O órgão mobilizou uma força-tarefa de 300 advogados para monitorar todos os tribunais do país em regime de plantão até o fim do processo eleitoral, em 28 de outubro, quando ocorrerá o segundo turno do pleito.

A medida foi tomada pela advogada-geral da União, Grace Mendonça, depois de a AGU ter prevenido que um juiz de Goiás expedisse, de modo irregular, na sexta-feira (5), uma liminar determinando que o Exército recolhesse urnas eletrônicas.

Após reclamação disciplinar da AGU, o juiz Eduardo Luiz Rocha Cubas, do Juizado Especial Federal Cível de Formosa (GO) foi afastado de suas funções pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade