Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro e Haddad se enfrentarão no segundo turno na corrida pelo Planalto

Como apontavam as pesquisas, o capitão da reserva e o petista se enfrentam nas urnas novamente no dia 28 de outubro


postado em 07/10/2018 22:02 / atualizado em 07/10/2018 23:44

(foto: Evaristo Sa, Nelson Almeida/AFP)
(foto: Evaristo Sa, Nelson Almeida/AFP)
Jair Bolsonaro (PSL) conquistou 46,6% dos votos válidos e enfrentará, no segundo turno, o candidato do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad (PT), que deteve 29,23%. Mesmo conquistando a liderança absoluta na maior parte dos estado brasileiros, o capitão da reserva não conseguiu faturar as eleições no primeiro turno e terá mais 20 dias para se firmar como o favorito ao Palácio do Planalto.

Bolsonaro abriu as apurações com 48% das intenções de voto, que indicava a viabilidade de uma vitória ainda neste domingo (7/10), o que entusiasmou a militância do candidato. Com a abertura de urnas do nordeste e do norte, onde Haddad ganhou em nove estados e Ciro Gomes (PDT) em um, o candidato do PSL oscilou para baixo e viu o segundo turno mais perto, que ficou confirmado pouco depois. 
 
 
 
No discurso após a confirmação matemática do embate, o petista afirmou à militância que quer um projeto amplo, com destaque para a soberania nacional e popular, cujo elo é “inseparável” para ele. Além disso, acenou uma convergência ao centro, se vendeu como um candidato que defende a democracia e afirmou que conversa com Ciro, Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (Psol).  

“Me sinto honrado e desafiado para tentar lutar contra os riscos que a democracia brasileira sofre, ainda mais no contexto das eleições de 2018, diferente de todas que disputamos até aqui. Queremos reunir os democratas do brasil, as pessoas que ligam para o país!”, declarou. 
 
Haddad aproveitou também para agradecer aos partidos da coligação, aos eleitores e às mulheres que o acompanharam, como a esposa Ana Estela e a vice Manuela D’Ávila. Aproveitou ainda para alfinetar as ausências de Bolsonaro no debate de ideias durante a campanha do 2º turno. 

"Iniciaremos amanhã uma campanha para sermos vitoriosos nesse segundo turno. Queremos unir esse país nesse conceito. Tem muita coisa em torno dessa eleição, diferente de todas que já participamos. Esse segundo turno é uma oportunidade de debatermos olho no olho e sem medo de ser feliz ganhar essa eleição", explanou.  
 

LIVE

 
Na noite deste domingo (7/10), em transmissão ao vivo pelo Facebook, o capitão da reserva fez o discurso voltado à conquista de votos no Nordeste. Acompanhado de seu guru econômico, Paulo Guedes, ele agradeceu os votos e relembrou críticas feitas às urnas eletrônicas. O presidenciável relembrou sua proposta de instituir o voto impresso como padrão. Afirmou ainda que o resultado é fruto de sua atuação como deputado federal por todo o país, e não de uma campanha de apenas poucas semanas. 

"O agradecimento que fazemos é para nossos eleitores, que nos fizeram ganhar em quatro regiões do país. Mesmo perdendo apenas no nordeste, a votação que tivemos lá foi muito boa, e tenho certeza que melhorará muito. Quero lembrar que resta-nos apenas dois caminhos: o da prosperidade, da liberdade, da família, de estar ao lado de Deus, daqueles que têm religião e daqueles que também não têm, mas são responsáveis; por outro lado resta o caminho da Venezuela!”, disse. 
 
O capitão da reserva afirmou que sua candidatura, apesar de pertencer a um partido pequeno, dialoga com a Câmara e poderá transformar o país numa potência mundial, com o uso correto dos recursos nacionais. 

“Deputados das mais variadas bancadas hipotecaram seu apoio a nós. São pessoas honestas, trabalhadoras, que querem ficar fora daquele velho jogo da política do ‘toma lá dá cá’. Temos como resgatar, sim, o nosso parlamento, trabalhando para o futuro do nosso povo e do nosso país”, assegurou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade