Publicidade

Correio Braziliense

Polícia investiga caso de jovem atacada e marcada com uma suástica no corpo

À rádio CBN, o delegado responsável disse, na verdade, se tratar de um símbolo budista que representa "amor e fraternidade".


postado em 10/10/2018 19:33 / atualizado em 10/10/2018 19:34

(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)
A Polícia Civil do Rio Grande do Sul investiga o caso de uma jovem de 19 anos, que teria sido atacada por um grupo de rapazes, em Porto Alegre (RS), por motivação política. Segundo a moça, após diversas ofensas e ameaças, o trio a rendeu e marcou o corpo dela com uma suástica nazista. De acordo com o depoimento da vítima, que registrou boletim de ocorrência na delegacia da região central da cidade, os agressores usaram um canivete para feri-la.
 
A jovem, que não teve a identidade revelada por motivos de segurança, contou à polícia que estava com uma camiseta com a estampa "#EleNão" no momento do ataque. A hashtag ganhou força durante a campanha eleitoral do primeiro turno das eleições presidenciais, em referência ao movimento de rejeição à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) ao Planalto. A vítima estava, ainda, com uma bandeira LGBTI+ na mochila

Paulo Cesar Caldas Jardim, delegado que registrou a ocorrência, disse que, na verdade, não se trata de uma suástica. Segundo ele, o símbolo marcado forçadamente na costela da jovem é uma referência budista, que significa "amor e fraternidade".
 
Até a última atuzalização desta reportagem, o caso era investigado como lesão corporal. "Eu tenho uma lesão corporal que não sei da gravidade da lesão, se é grave ou se não é. E me deparo com um símbolo conhecido. Eu estudo simbologia e vejo um símbolo budista de amor e fraternidade”, disse em entrevista à rádio CBN. 
 
O caso foi registrado na 2ª Delegacia Polícia, mas a investigação ficará a cargo da 1ª DP de Porto Alegre. O delegado disse que ouviria a jovem ainda nesta quarta-feira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade