Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro fará reunião com parlamentares eleitos pelo PSL e apoiadores

Segundo o candidato, encontro será para formular estratégias de campanha


postado em 10/10/2018 20:51 / atualizado em 10/10/2018 20:51

(foto: Mauro Pimentel/AFP)
(foto: Mauro Pimentel/AFP)

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) pretende juntar os 52 deputados federais e quatro senadores eleitos pelo PSL nas eleições 2018 e parlamentares que demonstraram apoio a sua candidatura, em um evento no Windsor Hotel, na Barra da Tijuca, na quinta-feira (11/10). O encontro está sendo organizado pelo deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), principal articulista da campanha e cotado para a Casa Civil em um governo Bolsonaro.

Bolsonaro disse, na terça-feira (9/10), que o encontro seria para formular estratégias de campanha. Já o deputado e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) afirmou que o evento também servirá "para mostrar o tamanho do Bolsonaro dentro do parlamento."

A reunião será feita num salão do hotel, que fica na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, perto do condomínio onde mora o candidato. Alguns deputados eleitos pelo partido já estão hospedados no local.

Ao votar no último domingo (7/10), Bolsonaro havia dito que haverá negociação partidária e acrescentou que recebeu apoio "de mais de 260 deputados" da bancada ruralista, parte da bancada evangélica e de segurança e acrescentou que grande parte deles é honesta. "No varejo, temos aproximadamente 350 parlamentares que querem estar conosco. Grande parte deles é de deputados honestos, que não querem conversar com o Sérgio Moro em Curitiba. Queremos conversar com o Moro no Rio, em Brasília, em qualquer lugar do Brasil, menos Curitiba. Vamos fazer uma política diferente", afirmou.

Tereza Cristina nega que ruralistas tenham pedido cargos

Jair Bolsonaro recebeu na tarde de hoje em sua casa, na Barra da Tijuca, integrantes da bancada ruralista no Congresso. Após o encontro, a deputada Tereza Cristina (DEM-MS) disse que o grupo foi confirmar apoio ao presidenciável no segundo turno. Questionada se os parlamentares pediram contrapartida com cargos num eventual governo, ela respondeu que o assunto não foi discutido.

"Não tem contrapartida nenhuma", afirmou. "Não queremos nada em troca", ressaltou. Tereza Cristina preside a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que reúne a bancada ruralista. Nestas eleições, dos 245 integrantes da bancada, apenas 117 conseguiram novo mandato.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade