Publicidade

Correio Braziliense

Militantes de Bolsonaro constrangem imprensa e equipe de Haddad

Apoiadores do capitão reformado acusaram o petista de distribuir material impróprio para crianças quando foi ministro da Educação


postado em 11/10/2018 16:36

(foto: Nelson Almeida/AFP)
(foto: Nelson Almeida/AFP)

Dois militantes do candidato Jair Bolsonaro (PSL) provocaram nesta quinta-feira (11/10) constrangimento à imprensa e à equipe de campanha de Fernando Haddad (PT). Durante reunião do petista com o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Steiner, na manhã de hoje, em Brasília, os apoiadores hostilizaram o presidenciável e o acusaram de distribuição de materiais impróprios para crianças quando foi ministro da Educação, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os seguranças de Haddad, que inclui agentes da Polícia Federal, foram conversar com os manifestantes, até para se certificar se portavam arma ou algum objeto cortante. Eles alegaram liberdade de expressão para protestar em um espaço público, ao lado de fora da CNBB. “Esses bandidos estão usando o nome de Deus para afrontar a própria palavra de Deus. Vem aqui pegar dinheiro dos fiéis que acreditam na palavra de Deus para jogar em ONGs abortivas”, acusou um deles. “O que o criador do kit gay quer aqui?”, questionou o outro.

A presença dos militantes motivou a assessoria de Haddad a transferir a coletiva de imprensa, prevista para ocorrer no lugar onde o protesto ocorria, para o Meliá Brasil 21. Os apoiadores seguiram os carros da imprensa até o local. No complexo comercial, acompanharam as equipes de reportagem presentes até a entrada onde seriam encaminhados para o encontro com Haddad. A militância, no entanto, não entrou.

O constrangimento obrigou a imprensa a seguir um caminho falso para despistar os militantes. Pelo subsolo de um dos edifícios, as equipes de reportagem se encaminharam para outro prédio, onde ocorreu a coletiva de imprensa. A equipe de Haddad e colaboradores do Brasil 21 adotaram as medidas responsáveis e cabíveis para melhor acomodar a imprensa, que acompanhava o dia do presidenciável. 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade