Publicidade

Correio Braziliense

Dilma vota em Belo Horizonte e diz acreditar em uma virada de Haddad

Caso esse cenário não se confirme nas urnas, Dilma defendeu a resistência e disse estar preparada


postado em 28/10/2018 15:45 / atualizado em 28/10/2018 15:56

(foto: Evaristo Sa/AFP)
(foto: Evaristo Sa/AFP)
Após votar, em Belo Horizonte, a ex-presidente Dilma Rousseff disse neste domingo (28/10) que confia em uma virada do candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) sobre o adversário Jair Bolsonaro (PSL). Segundo ela, entretanto, se não ocorrer a mudança, ela está preparada para a resistência.

"Acredito que toda a tendência é de uma virada", afirmou Dilma Rousseff. Caso esse cenário não se confirme nas urnas, Dilma defendeu a resistência. "Acredito que haverá uma grande resistência. Temos que esperar a resistência da democracia brasileira, das instituições políticas e dos movimentos sociais. Porque ele disse que os opositores têm que ir à prisão ou ao exílio e que os movimentos sociais seriam criminalizados como terroristas"

Comparando com um peixe - que quando come excessivamente, morre -, a ex-presidente disse que o candidato do PSL “vai morrer pela boca”, pois seus aliados e filhos não respeitam o Estado de Direito.

De acordo com ela, o exemplo foi a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) que sugeriu que, para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF), bastam "um soldado e um cabo".

"Quando um dos seus filhos diz isso, mostra o grau de autoritarismo e de falta de respeito ao Estado Democrático de Direito. É uma bravata, mas que deixa evidente um grau quase de fascismo", afirmou a ex-presidente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade