Publicidade

Correio Braziliense

Secretário pede desculpas por áudio sobre perseguir gays após eleição

Apoiador de Bolsonaro nas redes sociais, o titular da pasta de Esportes em Bambuí disse ter feito uma 'zoação' entre amigos


postado em 31/10/2018 09:35

Ramon Gabriel pediu desculpas pela 'brincadeira' que fez com o grupo de amigos (foto: Reprodução Facebook))
Ramon Gabriel pediu desculpas pela 'brincadeira' que fez com o grupo de amigos (foto: Reprodução Facebook))

Um áudio feito logo após a vitória do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), no domingo (28/10), levou o secretário de Esportes de Bambuí, município da Região Centro-Oeste de Minas, Ramon Gabriel, a se desculpar nas redes sociais. Nele, o funcionário do primeiro escalão da prefeitura diz que o país mudou e que, agora, vai perseguir os homossexuais.
 
O titular da pasta, que também é dono de uma academia de Crossfit e usa o slogan de campanha de Bolsonaro e um “PT não” na foto do perfil, também diz querer que a esquerda do grupo (de Whatsapp) se exploda. 
 
“Quero que essa esquerda desse grupo se exploda. Eu quero nego demitido, perseguido, eu quero nego viado que toma uma arrombada no c…, ele vai gostar, só pode. Quero que se exploda. Agora mudou, o país mudou e agora nós vai (sic) perseguir mesmo, nós é  mau. Agora mudou o negócio, fica velhaco aí, galera”, diz o secretário no áudio. 
 
Em conversa com o Estado de Minas, o secretário Ramon Gabiel disse que estuda processar a pessoa que vazou a mensagem. Segundo ele, o áudio foi para um grupo de Whatsapp do qual participam 25 pessoas. Um dos amigos lhe contou ter enviado a mensagem para outra pessoa, que divulgou nas redes.

'Estava zoando'

“Esse áudio está distorcido, fora de contexto. Estava zoando os integrantes do próprio grupo dentro de outra conversa. Se alguém pega uma fala só é lógico que dá essa descontextualidade”, afirmou Ramon. 

O secretário disse que quando falou em perseguição se referia aos integrantes do grupo e era “zoação”. “Meu amigo já pediu desculpas, infelizmente confiou em uma pessoa maldosa e enviou o áudio. Mas não tenho nenhum preconceito, quem me conhece sabe que sempre convivi (com gays) e para mim não tem nenhum diferença”, afirmou.

O secretário disse não acreditar que a eleição de Bolsonaro vá causar perseguição a homossexuais. Segundo ele, tal ideia viria da “própria classe” e da mídia. “Mas creio que o Brasil com Bolsonaro vai ser até mais unido”, disse. 

O secretário divulgou um pedido de desculpas em seu Facebook. Ele disse ter conversado com o prefeito da cidade Olívio Vieira, que o orientou a se retratar. Ramon afirmou ainda que, após comentários negativos, tornou o texto privativo aos amigos na rede social.
 
No texto, ele dizia estar embriagado e ter feito uma brincadeira. “Desculpa a quem se sentiu ofendido”, diz. 
 
Em seu perfil no Facebook, o prefeito de Bambuí Olívio Teixeira (PSB) afirmou que foi "surpreendido" pelo áudio. "Este áudio causou desconforto em muitas pessoas, inclusive a mim, pelo vocabulário utilizado e principalmente pela manifestação de intolerância a diferenças de pensamento e escolhas pessoais ali demonstradas", ressaltou. 

Confira o texto de desculpas postado pelo secretário no Facebook


Boa tarde a todos!
 
Como já deve ser de conhecimento de todos o áudio que anda circulando pelo WhatsApp. Esse mesmo áudio foi tirado de um grupo de WhatsApp de amigos onde a zuaçao (sic) acontece o tempo todo e um áudio vazado por uma pessoa maldosa querendo ver o mau (sic) do próximo. Quem me conhece sabe a educação que tenho com as pessoas e que nunca descriminei (sic) ninguém. Tudo que é dito no áudio foi uma brincadeira caricata do personagem "Bolsonaro" realizada com alguns amigos em momento de embriagues (sic) estampada e se de alguma forma ofendi alguém peço desculpas. Na fala que digo que vamos perseguir as pessoas passa outro tipo de contexto da real empregada na "brincadeira", quando a pessoa que escuta não é integrante do grupo, pois o sentido da brincadeira é que nós iríamos perseguir os membros de dentro do grupo na zuaçao (sic) todos os dias. Infelizmente um áudio sem o seu contexto deixa as pessoas com uma má impressão de minha pessoa e que o estrago que fez não tem volta e espero que quem me conhece de verdade saiba que nunca recriminei ninguém e sempre respeito todos com suas diferenças.
Obrigado e desculpa a quem se sentiu ofendido.

Veja a íntegra da nota do prefeito de Bambuí Olívio Teixeira (PSB):

"Caros Bambuienses, boa tarde!

Fui surpreendido por um áudio colocado no Whatsaap pelo Secretário Municipal de Esportes. Este áudio causou desconforto em muitas pessoas, inclusive a mim, pelo vocabulário utilizado e principalmente pela manifestação de intolerância a diferenças de pensamento e escolhas pessoais ali demonstradas.

Sou defensor da liberdade de pensamento, da livre escolha e do respeito às diferenças. Como trata-se de um Secretário Municipal, pedi explicações e me foi relatado que o áudio seria de caráter privado, restrito a um grupo de amigos, onde esse tipo de brincadeiras entre as partes era comum e que infelizmente foi extraviado para o público, o que lhe causou muito constrangimento, pois a fala não reflete sua maneira real de pensar e pediu sinceras desculpas pelo ocorrido.
 
Pedi que se retratasse publicamente, para que pudéssemos arrefecer os ânimos e acalmar aqueles que, justificadamente, se sentiram incomodados, inclusive a administração municipal.

A retratação e o pedido de desculpas foram publicados em sua página na mídia social Facebook.

Como chefe do executivo e ciente de minha responsabilidade, também peço desculpas a todos pelo incidente e pelo mal estar causado.

Esta administração preza pela liberdade de escolha e não compactua com a intolerância.
 
Muito obrigado a todos!"

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade