Publicidade

Correio Braziliense

Gisele Bündchen defende separação das pastas do Meio Ambiente e Agricultura

Em seu perfil no twitter, a modelo disse que a fusão entre os ministérios pode ser 'desastrosa e um caminho sem volta'


postado em 01/11/2018 16:19

(foto: Apu Gomes/AFP)
(foto: Apu Gomes/AFP)

A supermodelo Gisele Bündchen, 38 anos, saiu em defesa da separação entre os ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura. Em nota publicada nas redes sociais, ela manifestou preocupação com a proposta do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) de unir as duas pastas. Caso a ideia se concretize, pode ser “desastroso e um caminho sem volta”.
 
 

A modelo parte do princípio de que os dois ministérios têm agendas próprias e, “por vezes”, incompatíveis. Na avaliação de Gisele, o país tem condições de liderar uma guinada global rumo ao desenvolvimento sustentável sem unir as pastas. “Conciliar conservação socioambiental e crescimento econômico é perfeitamente possível e necessário”, destacou. 

O agronegócio, sustenta Gisele, precisa da floresta Amazônica em pé para garantir as condições mínimas para que o país continue tendo força no futuro, bem como o mundo precisa da Amazônia. “Fragilizar a autoridade representada pelo Ministério do Meio Ambiente, no momento em que as preocupações com as ameaças da mudança climática e do desmatamento se intensificam, pode ser desastroso e um caminho sem volta”, ponderou.

A natureza, defende Gisele, é o bem mais valioso na Terra. “Preservar o meio ambiente é essencial para o futuro dos nossos filhos e próximas gerações”, declarou. A modelo defendeu o diálogo para que o país não “retroceda décadas” de luta pelas florestas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade