Publicidade

Correio Braziliense

Diplomata sugere embaixada brasileira na Palestina em Jerusalém Oriental

Embaixador palestino diz que seu país não se opõe à transferência da embaixada em Israel para Jerusalém se o mesmo for feito com a representação que há em seu país


postado em 01/11/2018 19:21 / atualizado em 01/11/2018 19:40

Alzeben: 'Vemos com bons olhos que a embaixada do Brasil em Israel fique na Jerusalém Ocidental e que a embaixada brasileira na Palestina fique na Jerusalém Oriental'(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
Alzeben: 'Vemos com bons olhos que a embaixada do Brasil em Israel fique na Jerusalém Ocidental e que a embaixada brasileira na Palestina fique na Jerusalém Oriental' (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)

Ao comentar a intenção do presidente eleito Jair Bolsonaro de transferir a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém, o embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben, disse, nesta quinta-feira (1º/11), confiar no bom senso por parte do novo governo federal, que toma posse no próximo 1º de janeiro. 

 

"Não perdemos a esperança de que vai existir bom senso por parte do novo governo. Essa mudança seria uma afronta às resoluções da ONU e ao direito internacional. É um tema delicado", afirmou Alzeben ao Correio.

 

Bolsonaro anunciou a intenção de seguir o exemplo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e mudar a embaixada de cidade, reconhecendo assim Jerusalém, alvo de disputa entre israelenses e palestinos, como capital do Estado judaico. Alzeben alegou não acreditar que o Brasil fosse contrariar acordos internacionais. “O ponto de vista palestino é o ponto de vista da ONU, que redige as regras do convívio internacional", ressaltou.

 

Transferência 

O embaixador disse também acreditar que ainda é possível manter diálogo com Bolsonaro e chegar a uma solução que também contemple o ponto de vista palestino. "Temos dois meses para conversar e estabelecer nosso ponto de vista. Existem duas Jerusaléns. Vemos com bons olhos que a embaixada do Brasil em Israel fique na Jerusalém Ocidental e que a embaixada brasileira na Palestina fique na Jerusalém Oriental", disse.

 

Mais cedo, Alzeben chegou a duvidar da intenção de Bolsonaro, divulgada primeiro pelo jornal Israel Hayom. "Eu não posso ter como fonte um país que reprime o meu povo, que não permite que tenhamos o nosso território. São fake news de Israel para criar polêmica", disse. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade