Publicidade

Correio Braziliense

Sérgio Moro e mais mulheres devem somar equipe de transição de governo

Primeira mulher a ser nomeada deve ser Márcia Amarílio da Cunha Silva, tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal


postado em 06/11/2018 18:09 / atualizado em 06/11/2018 18:09

(foto: Mauro Pimentel/AFP)
(foto: Mauro Pimentel/AFP)

O juiz federal Sérgio Moro, anunciado como futuro ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro (PSL) também fará parte da equipe de transição de governo. Além dele, cerca de três a cinco mulheres também farão parte do time.

A primeira mulher que será nomeada deve ser de Márcia Amarílio da Cunha Silva, que é especialista em segurança pública e tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. O time escalado para fazer a transição de governos foi criticado porque não tinha nenhuma mulher.

Moro, conhecido por comandar a Operação Lava Jato, entrou de férias nesta segunda-feira (5/11) para atuar na transição do governo. Ele pretende tirar todos os 17 dias de férias antes de pedir exoneração, no início de janeiro. O recesso do futuro ministro será até dia 21 de novembro. “As férias também permitirão que inicie as preparações para a transição de governo e para os plenos para o ministério”, afirmou o juiz no ofício.

A juíza federal substituta Gabriela Hardt assumirá a titularidade plena da 13ª Vara Federal de Curitiba. 
 
Segundo interlocutores da equipe de transição, "à princípio" Moro deve fazer parte da equipe em algum momento. Os primeiros nomes do time foram divulgados nesta segunda-feira (5/11). Até então, há 27 integrantes e um coordenador, que é o futuro ministro da Casa-Civil, Onyx Lorenzoni. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade