Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro diz que Temer está tratando da saída de médicos cubanos

O presidente voltou a chamar o regime de trabalho dos cubanos no Brasil de "escravidão" e afirmou que será possível substituir os profissionais se for oferecido "tratamento adequado"


postado em 18/11/2018 17:20 / atualizado em 18/11/2018 17:29

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
 

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse hoje que o presidente Michel Temer está tratando da questão da saída dos médicos cubanos do programa Mais Médicos. Segundo ele, será necessário avaliar os casos das centenas de municípios que ficarão sem médicos, pois alguns dispensaram seus profissionais para ingressar no programa federal. 


"Eu não sou presidente. Dia 1º de janeiro, após a posse, nós vamos apresentar o remédio para isso, mas o presidente Temer já está trabalhando nesse sentido", disse.

Segundo ele, algumas prefeituras mandaram embora seus médicos para receber um profissional, com o custo assumido pelo governo federal.

"Tem prefeitura que mandou o médico embora para pegar o cubano. Quer ficar livre da responsabilidade. A saúde também tem sua responsabilidade", disse, frisando que a convocação de profissionais do Exército só é feita em caso de necessidade.

O presidente voltou a chamar o regime de trabalho dos cubanos no Brasil de "escravidão" e afirmou que será possível substituir os profissionais se for oferecido "tratamento adequado".

"Não podemos admitir escravos cubanos trabalhando no Brasil e não podemos continuar financiando a ditadura de Cuba", completou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade