Publicidade

Correio Braziliense

Haddad avalia convite de Bernie Sanders para integrar frente progressista

Coalizão criada pelo senador norte-americano busca ser um contraponto ao autoritarismo e conta com o apoio do ex-ministro das Finanças da Grécia Yanis Varoufakis


postado em 21/11/2018 11:01 / atualizado em 21/11/2018 11:02

(foto: Nelson Almeida/AFP)
(foto: Nelson Almeida/AFP)
 
Candidato do PT à Presidência na eleições de 2018, o ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad foi convidado pelo senador norte-americano Bernie Sanders e pelo ex-ministro das Finanças da Grécia Yanis Varoufakis a integrar uma frente progressista internacional. O lançamento da coalizão deve acontecer em Nova York, no próximo dia 1º.

A informação foi divulgada inicialmente na coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, e confirmada ao Correio pela equipe de Haddad. Segundo sua assessoria, ele está analisando o convite.

O objetivo da coalizão, segundo seus idealizadores, é combater o avanço do autoritarismo no mundo. O grupo se diz preocupado com a ascensão de governos conservadores, como os de Jair Bolsonaro, no Brasil, e Donald Trump, nos Estados Unidos. Assim como Haddad, aliás, Sanders acabou derrotado nas eleições presidenciais de seu país. Ele perdeu as prévias do partido Democrata para a correligionária Hillary Clinton que, posteriormente, acabou derrotada pelo republicano Trump. 

A Grécia de Varoufakis, por outro lado, vive sob o comando do primeiro-ministro Alexis Tsipras, líder de uma coligação de esquerda. Porém, os movimentos nacionalistas ganharam força no país — e na Europa de forma geral — após uma sucessão de problemas econômicos, aliados à crise dos refugiados. A Grécia tem sido uma das portas de entrada na Europa para imigrantes vindos da Síria e de outros países da Ásia e África.

A ideia da frente proposta por Sanders vem sendo difundida desde setembro. Nesta quarta-feira (21/11), o próprio Varoufakis compartilhou em suas redes sociais uma notícia em português que mencionava a criação da coalizão com a presença de Haddad. Também na internet, vários usuários brasileiros comentaram a possível formação do grupo. O nome de Bernie Sanders, inclusive, chegou a figurar entre os assuntos mais comentados do país no Twitter.
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade