Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro anuncia Tarcísio Gomes de Freitas como ministro da Infraestrutura

Freitas é formado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsportes (Dnit)


postado em 27/11/2018 17:24 / atualizado em 27/11/2018 19:07

O futuro ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.(foto: Ed Alves/CB/DA Press)
O futuro ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. (foto: Ed Alves/CB/DA Press)
  
Em sua conta no Twitter, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), anunciou, nesta terça-feira (26/11), Tarcísio Gomes de Freitas, consultor legislativo da Câmara dos Deputados, como futuro ministro da Infraestrutura no próximo governo. 

Freitas é formado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e ex-diretor executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsportes (Dnit), entre 2011 e 2015. Segundo seu perfil no LinkedIn, foi oficial do Exército brasileiro por 16 anos e atuou no planejamento e execução de operações militares, comando de frações, planejamento, projeto, auditoria e execução de obras. 
 
Em entrevista coletiva no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, Freitas deu entrevista coletiva onde explicou quais foram as orientações da equipe de transição de Bolsonaro para a pasta. 
 
“A recomendação é resolver os problemas de logísticas, entregar projetos, gerar desenvolvimento, gerar empregos. Resolver os problemas que são sabidos da infraestrutura nacional que acabam onerando o nosso produtor. Tocar os projetos de rodovias, ferrovias, concessões de aeroportos. A ídeia é trazer a iniciativa privada para a infraestrutura nacional”, disse. 
 
Na configuração atual do Executivo, o Ministério da Infraestrutura não existe. A nova pasta deve absorver o Ministério dos Transportes e atuar mais alinhada com as decisões do gabinete presidencial, como deseja Bolsonaro. Sobre as competências da pasta, o futuro ministro afirmou que nada muda. 
 
“O arranjo definitivo desse Ministério [da Infraestrutura] vai lidar realmente com todas as questões de transporte na competência federal, como é agora. O Ministério do Desenvolvimento Regional fica com a área que hoje é do Ministério das Cidades e da Integração Nacional e o Ministério de Minas e Energia continua com as competências atuais”, declarou.
 
Freitas informou também que toda parte de Comunicação deverá continuar atrelada ao Ministério de Ciência e Tecnologia, sob os cuidados de Marcos Pontes.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade