Publicidade

Correio Braziliense

Decreto de intervenção em Roraima será assinado por Temer na segunda-feira

Após análise do Congresso, governadora Suely Campos será afastada do cargo e substituída pelo governador eleito Antônio Denarium (PSL)


postado em 08/12/2018 18:10

(foto: Evaristo Sá/AFP)
(foto: Evaristo Sá/AFP)

O presidente Michel Temer vai assinar o decreto de intervenção federal em Roraima na próxima segunda-feira (10/12) e terá até 24 horas para enviar o documento ao Congresso Nacional para ser analisado. A partir daí, a intervenção passa a valer oficialmente, e a governadora Suely Campos será afastada do cargo. O anúncio foi dado na tarde deste sábado (8/12), pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, após reunião com os Conselhos da República e da Defesa Nacional. 

Etchegoyen foi o porta-voz do encontro. O ministro confirmou o nome do governador eleito Antônio Denarium (PSL) como interventor. Portanto, até 31 de dezembro, ele responde ao presidente. Além disso, Temer nomeou dois secretários para a medida: para a secretaria de Fazenda, o general Eduardo Pazuello, que já está à frente da Operação Acolhida no estado; e para a Secretaria de Segurança Pública, o servidor do Departamento Penitenciário Nacional Paulo Costa.

 
MP prevê R$ 200 milhões 

O senador e líder do governo no Senado, Romero Jucá, disse ainda que o Planalto está elaborando uma medida provisória para destinar até R$ 200 milhões de recursos a Roraima. O parlamentar espera ainda a agilidade por parte dos congressistas para a análise do decreto — as segundas no Congresso costumam não ter quórum suficiente para votação.  "É importante que seja votado logo na segunda-feira pelo Congresso. Os presidentes das duas Casas estarão mobilizando parlamentares", acrescentou. 

Estavam presentes na reunião, além de Temer e de Etchegoyen, o presidente Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os ministros da Justiça, Torquato Jardim, da Defesa, Joaquim Silva e Luna, da Segurança Pública, Raul Jungmann, de Minas e Energia, Moreira Franco, de Relações Exteriores (interino), Emb. Marcos Bezerra Abbott Galvão e o do Planejamento, Esteves Colnago. Entre os comandantes de Força, compareceram o General Eduardo Villas Bôas, que representou o Exército, o Almirante Eduardo Bacelar, a Marinha e o Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, a Aeronáutica.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade