Publicidade

Correio Braziliense

PF divulga imagem com simulação de possíveis disfarces de Cesare Battisti

Adereços como óculos e chapéu e mudanças no visual poderiam ser utilizados para enganar a população e as autoridades, apontam investigadores


postado em 16/12/2018 14:52 / atualizado em 16/12/2018 14:57

(foto: Divulgação/Polícia Federal)
(foto: Divulgação/Polícia Federal)
 
A Polícia Federal simulou os possíveis disfarces que poderiam ser utilizados pelo foragido italiano Cesare Battisti. Ele é alvo de um mandado de prisão expedido pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), e teve sua extradição para o país europeu autorizada pelo presidente da República, Michel Temer.

Na imagem, Cesare aparece com algumas possibilidades de adereços e mudanças em suas características físicas que poderiam ser usados para enganar as autoridades e impedir seu reconhecimento pela população. Na simulação, ele aparece de óculos em alguns momentos, sem barba, com cabelo raspado, barba pintada e de chapéu ou boné.

Os óculos usados no disfarce variam dos modelos usados, para lentes com grau até óculos de Sol, modelo aviador. As equipes policiais já foram até a casa dele, em Cananéia, litoral sul de São Paulo, e outros endereços apontados pela investigação. No entanto, o italiano ainda não foi encontrado.

Um avião militar da Itália está no Brasil aguardando que ele seja capturado e levado de volta ao país. O presidente da Itália, Sérgio Matarella, agradeceu, pelo Twitter, o presidente Michel Temer por ter assinado o decreto de extradição de Battisti. “Senhor presidente, gostaria de expressar minha mais profunda gratidão por sua decisão sobre o caso do cidadão italiano Cesare Battisti, condenado definitivamente por crimes muito graves pelos tribunais italianos e até agora afastado da execução das sentenças pertinentes”, escreveu.

Ministro se oferece


O vice-premier e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, disse, neste domingo (16/12), que, se for convidado, vem pessoalmente buscar Cesare Batistti. Ele informou que está em contato com Temer para negociar a vinda ao Brasil. "Estou falando nesta hora com o presidente brasileiro e por isso me dizem extremista e fascista. Eu e Bolsonaro temos mil defeitos, mas se, nas próximas horas, eu receber um convite para ir e pegar um avião para trazer de volta à Itália um terrorista que não deveria ficar na praia no Brasil, mas na prisão na Itália, eu pegaria o voo", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade