Publicidade

Correio Braziliense

Esquema de segurança da posse inclui agentes especializados em defesa química

Pessoas que foram à Esplanada para acompanhar a posse não enfrentam, por enquanto, filas longas na revista


postado em 01/01/2019 12:31 / atualizado em 01/01/2019 13:43

Forte esquema de segurança foi montado na Esplanada dos Ministérios(foto: Sergio Lima/AFP)
Forte esquema de segurança foi montado na Esplanada dos Ministérios (foto: Sergio Lima/AFP)
Um forte esquema de segurança já está montado na Esplanada dos Ministérios para a cerimônia de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro. Logo no primeiro ponto de revista, um caminhão de som alerta que, "para a festa de paz" e para garantir a segurança, "vários atiradores estão posicionados, além de agentes especializados em defesa química, biológica e nuclear".

Pessoas que vieram à Esplanada para acompanhar a posse não enfrentam, por enquanto, longas filas para passar em dois postos de revista. Frutas precisam ser cortadas e somente sacos transparentes são permitidos. Superada a barreira, populares têm um espaço limitado para circulação. Desta vez é permitido o acesso apenas no gramado central, sem a possibilidade de movimentação para áreas próximas dos prédios dos Ministérios.

Tapumes foram montados em frente à Catedral, onde deverá ter início o desfile do presidente eleito. Populares não poderão acompanhar esse início. O tenente coronel Henrique Pinto informou que 2.900 homens da Polícia Militar já participam da operação de segurança na Esplanada. No efetivo, homens do Corpo de Bombeiros, Exército e a Caesb - companhia encarregada da distribuição de água potável, visto que não é permitida a entrada com garrafas de água ou ambulantes.

Por enquanto, há na Esplanada mais policiais do que pessoas interessadas em acompanhar a posse. O porta-voz da Polícia Militar, major Michello Bueno, disse não ser possível, ainda, dizer quantas pessoas já chegaram à Esplanada. "Elas estão espalhadas. Pode ter duas mil, três mil. Mas o movimento está crescendo".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade