Publicidade

Correio Braziliense

Convidados chegam ao Congresso para posse de Jair Bolsonaro

Senador Fernando Collor foi o primeiro a chegar. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, e o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foram únicos a fazer declarações


postado em 01/01/2019 14:42 / atualizado em 01/01/2019 16:24

(foto: BRUNO ROCHA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO)
(foto: BRUNO ROCHA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO)
Precisamente às 13h, foram abertas as portas da Chapelaria do Congresso Nacional, principal entrada de convidados para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro. O primeiro a chegar foi o senador Fernando Collor. Os atuais parlamentares foram os únicos a não serem revistados, todos os demais, mesmo futuro ministros, tiveram de passar pelos vários aparelhos de raios X colocados no chamado Salão Branco do Senado.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), comentou estar otimista com a posse. “Espero que ele (o presidente) unifique o Brasil e governe para todos os brasileiros. Que faça o desenvolvimento do Brasil. Que este país avance, gere emprego e gere renda. Que a sociedade seja completamente pacificada, independentemente de quem votou ou deixou de votar. Esse é o grande papel que o presidente tem, fazer o desenvolvimento e unificar este país”, disse.

Após a chegada de Eunício, outras autoridades passaram pelos tapetes vermelhos da chapelaria do Congresso. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, cruzou com o futuro ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes. A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina, chegou quase no mesmo instante e, pouco depois, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Nenhum deles quis falar com a imprensa.

Já o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que passou sem ser revistado por ser deputado federal nesta legislatura, fez questão de dar declarações. “O momento de muita alegria. Lutamos muito para chegar aqui. O presidente tem consciência da missão que a gente tem para cumprir. Quando ele nos reúne -- já vai nos reunir novamente no dia 3 às 9h no Palácio do Planalto -- sempre é neste sentido, da responsabilidade com a esperança que está lá na rua e que nos trouxe até aqui”, afirmou.

Onyx disse ter estado com o presidente eleito Jair Bolsonaro na véspera, às 19h. “Ele está muito muito feliz, está alegre, descontraído. Deve brincar com vocês hoje aqui”, comentou.
 
Depois da cerimônia, que seguiu o horário estabelecido, iniciando rigorosamente às 15h para a posse de Jair Bolsonaro como o 38º presidente da República do Brasil, alguns convidados deixaram a solenidade pela chapelaria do Congresso Nacional. 

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, ressaltou o momento histórico para o país. “A posse de um novo presidente eleito democraticamente é a demonstração clara de que nosso Estado democrático de direito está fortalecido e que as nossas instituições, ao longo dessa caminhada, funcionaram efetivamente como deveriam”, disse. “Espero que o governo possa rapidamente trazer suas propostas para tirar o Brasil desta crise que vivemos hoje, notadamente econômica, com desemprego”, ressaltou.

Lamachia destacou que os brasileiros tem que torcer para que o governo dê certo. “E o governo tem de ter em mente que o princípio fundamental é o respeito à Constituição e o respeito às leis. É isso que a OAB espera. A Ordem continuará contribuindo para o Brasil, sendo ela sempre independente. A OAB não é nem de governo, nem da oposição. É do cidadão e dos advogados”, disse.  “A nossa ideologia é a Constituição Federal”, acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade