Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro viaja a SP para retirada de bolsa de colostomia

O procedimento está marcado para o início da manhã desta segunda-feira


postado em 27/01/2019 10:06

Jair Bolsonaro passará por cirurgia e ficará 48 horas afastado da presidência(foto: Isac Nóbrega/PR)
Jair Bolsonaro passará por cirurgia e ficará 48 horas afastado da presidência (foto: Isac Nóbrega/PR)

 

O presidente Jair Bolsonaro seguiu neste domingo (27/1) para São Paulo onde será submetido à cirurgia de retirada da bolsa de colostomia, que usa desde setembro do ano passado após ter sofrido uma facada. Ele será internado pela manhã. Será a terceira cirurgia do presidente em quatro meses após ter sofrido o atentado em Juiz de Fora, Minas Gerais.

 

Bolsonaro passará por procedimentos preparatórios para a cirurgia, que ocorrerá amanhã (28/1), no Hospital Albert Einstein. Ele deve ser submetido hoje a exames de sangue e clínicos.

 

A estimativa é que a operação dure cerca de três a quatro horas. A recuperação absoluta recomendada pelos médicos deve durar 48 horas. Após o período inicial de recuperação, voltará a desempenhar as atividades como presidente da República.

 

O presidente permanecerá em São Paulo por um período estimado em 10 dias, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, de ministros. Ele promete despachar diariamente.

 

A evolução da recuperação do paciente é que vai determinar a alta. Segundo Rêgo Barros, a imprensa será informada diariamente sobre o quadro de saúde do presidente, bem como de suas atividades no Hospital Albert Einstein.

 

Despachos

 

A partir do início da intervenção, o vice-presidente Hamilton Mourão assumirá a presidência. Ele ficará no cargo enquanto Bolsonaro se recupera da operação. O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, afirmou que, na quarta-feira (30), o presidente deverá estar despachando com os assessores e ministros.

 

“Nas 48 horas de descanso após a cirurgia, o vice-presidente assume [o cargo]. A partir daí [das primeiras horas de recuperação], ele será levado para um local na área do Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do hospital que tem condições mais humanizadas, e passará a estabelecer contatos com seus integrantes, particularmente com os ministros”, disse.

 

Bolsonaro usa uma bolsa de colostomia desde que foi esfaqueado em um ato de campanha, em Juiz de Fora, dia 6 de setembro. A facada atingiu o intestino e o então candidato foi submetido a duas cirurgias, uma na Santa Casa de Juiz de Fora e outra no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

 

A bolsa de colostomia utilizada por ele por cerca de quatro meses funciona como um intestino externo e possibilita a recuperação do intestino grosso e delgado.

 

Tragédia

Ontem (26) o presidente sobrevoou a região de  Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG), para verificar de perto a tragédia envolvendo o rompimento da barragem de rejeitos da Vale se rompeu, ele visitou a área emergencialmente no sábado (26). Após sobrevoar a região atingida pelos rejeitos da barragem da mineradora Vale que se rompe, o presidente disse que vai trabalhar para atender às vítimas, cobrar pelos danos causados e evitar novas tragédias. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade