Publicidade

Correio Braziliense

Presidente do Senado quer celeridade na aprovação da reforma da Previdência

Davi Alcolumbre se reuniu na durante a tarde com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar sobre o assunto


postado em 07/02/2019 18:38

(foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
(foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse, em entrevista à jornalistas, que não pode determinar o prazo para a aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, mas que, assim que tiver o aval da primeira casa, o texto já estará amadurecido entre os senadores. As declarações foram dadas na tarde desta quinta-feira (7/2) na Residência Oficial do Senado, localizada na Península dos Ministros, em Brasília.

Ele se reuniu na durante a tarde com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar sobre o assunto. O líder do DEM no Senado, Rodrigo Pacheco (MG), também acompanhou o encontro. 

“Eu fiquei muito surpreso com a construção que foi apresentada pelo ministro Paulo Guedes e confesso que estava entusiasmado em relação à apresentar ao Brasil uma proposta que pudesse unificar os brasileiros em torno de uma causa que são os próprios brasileiros, todos nós. A gente precisa aprovar essa reforma da Previdência e dar para o Brasil a condição e sustentabilidade para que os brasileiros possam preservar as gerações futuras”, destacou o presidente do Senado. 

Alcolumbre disse ainda que os líderes e os partidos terão autoridade para discutir a reforma da Previdência . “O Parlamento brasileiro vai recepcionar essa proposta que ainda está sendo discutida pelo ministro da Economia e pelo próprio presidente da República. O Senado aguarda com ansiedade a apresentação da reforma da Previdência e tem a clareza que é preciso garantir as gerações futuras”, alegou. 

O presidente do Senado disse ainda que não viu a reforma, mas que conversou bastante com o ministro da Economia sobre o tema. Para ele, com base nos conceitos que foram apresentados, ele tem a “convicção que há hoje uma sensibilidade no Brasil para combater os privilégios e atender as pessoas que mais precisam”, defendeu Alcolumbre. “É uma experiência que o ministro Paulo Guedes vem de muitos anos e com certeza o Parlamento com serenidade, tranquilidade e confiança no país, vai discutir o que for encaminhado pelo governo federal”, afirmou. 

Sobre o trâmite da proposta, Alcolumbre disse que não pode determinar o prazo da Câmara, mas que os senadores acompanharão as discussões. “(Nós vamos) já se inteirar da reforma apresentada pelo governo na Câmara. Há um consenso entre os senadores, todos os líderes partidários, que eles querem acompanhar a evolução do debate e do diálogo que se realizará na Câmara dos deputados quando a reforma for apresentada. Com isso, o Senado dará celeridade para, a partir do momento que se aprovar na Câmara dos Deputados, o Senado já possa estar a par da aprovação”, destacou o presidente da Casa Legislativa. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade