Politica

Bolsonaro compartilha mensagem do filho com ataques a Bebianno

Na publicação, Carlos Bolsonaro afirma que o ministro mentiu ao afirmar que teria conversado três vezes com o presidente na terça-feira

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 13/02/2019 21:47
Captura de tela do perfil de Jair Bolsonaro no Twitter -  (foto: Reprodução/Twitter)
Captura de tela do perfil de Jair Bolsonaro no Twitter - (foto: Reprodução/Twitter)
Captura de tela do perfil de Jair Bolsonaro no Twitter
O presidente Jair Bolsonaro compartilhou uma postagem de seu filho, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC), com ataques ao ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

Na publicação, Carlos afirma que Bebianno mentiu ao afirmar que teria conversado 3 vezes com o presidente na terça-feira (12/2). Mais do que isso, o verador compartilhou um áudio que teria sido enviado por Bolsonaro ao ministro, em que afirma que não falará com ninguém "a não ser estritamente o essencial".
[VIDEO2]
[VIDEO1]

Em entrevista ao jornal O Globo, Bebianno negou ser motivo de instabilidade no governo após a repercussão de uma publicação da Folha de S.Paulo, que informa que o PSL, partido do presidente, teria financiado uma candidatura laranja no Pernambuco em outubro de 2018. Bebianno era o presidente da sigla na época.

"Falei três vezes com o presidente", disse Bebianno. Carlos, que diz ter estado 24 horas ao lado de Bolsonaro, desmentiu o ministro: "É uma mentira absoluta de Gustavo Bebbiano que ontem teria falado 3 vezes com Jair Bolsonaro para tratar do assunto citado."

De acordo com a publicação do jornal Folha de S.Paulo, Bebianno teria sido responsável pela liberação R$ 250 mil de verba pública para a campanha de uma ex-assessora, que repassou parte do dinheiro par uma gráfica registrada em endereço de fachada. A gráfica teria sido a mesma usada pela candidata Maria de Lourdes Paixão, que diz ter repassado R$ 380 mil à empresa.

Repercussão

O caso envolvendo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência foi comentado por diversos atores políticos. O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, defendeu Bebianno. Segundo ele, o ministro é um homem sério, responsável, correto.
;Ajustes nas relações são normais. Nós temos 40 dias de governo. O presidente, destes 40 dias, quase 20 hospitalizados. Então, a gente tem que ter paciência e temos que ir com calma. O ministro Gustavo Bebbiano é uma pessoa super dedicado ao projeto. É um homem sério, responsável, correto. Eu acho que essas coisas são naturais num processo que está iniciando;, afirmou.

O ministro-chefe da Casa Civil ainda comparou a situação com um time futebol. ;Nem sempre o lateral se acerta bem com o ponteiro. As vezes o cara da meia cancha demora para ligar com o atacante. O atacante está sempre em impedimento;, disse. ;Tem que ajustar as coisas. Isso vai se ajustar. Não tem nenhum problema. Ninguém vai criar uma onda onde não tem razão para ter;, refutou.
Questionado sobre a possibilidade de afastamento do ministro do governo, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, por sua vez, disse que é preciso aguardar e que o assunto está restrito a Bebianno e ao PSL.
Já a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) atacou Carlos Bolsonaro, dizendo que ele está tentando gerar uma crise dentro do governo do próprio pai ao voltar a fazer acusações contra Bebianno. "É uma coisa de louco, é inimaginável uma coisa dessa. Tem que ter separação. Casa do presidente é uma coisa, palácio é outra coisa. O Palácio do Planalto não pode invadir a casa do presidente. Não pode ter puxadinho", disse.
Com informações da Agência Estado

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação