Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro: se Bebianno estiver envolvido em corrupção 'voltará às origens'

Após 17 dias internado, o presidente concedeu entrevista a emissora de TV, que veiculou o vídeo na noite desta quarta-feira


postado em 13/02/2019 22:07 / atualizado em 13/02/2019 22:50

(foto: Isac Nóbrega/PR )
(foto: Isac Nóbrega/PR )
O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (13/2) que se o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, estiver envolvido no uso de candidatos do PSL como laranjas na campanha de 2018, ele deverá "voltar às origens". " Se ele estiver envolvido e for responsabilizado, lamentavelmente, o destino não pode ser outro", disse. As declarações foram dadas em entrevista à Rede Record, dentro do hospital onde estava internado desde 28 de janeiro.

O chefe do executivo disse, ainda, que é "mentira" que teria conversado com o ministro enquanto esteve no hospital. "Mentira. Eu estava no hospital e mesmo que não estivesse, é impossível acompanhar tudo. Mas, se houver qualquer coisa errada envolvendo o meu partido, Moro tem carta Branca para apurar", afirmou. Bolsonaro disse que já determinou à Polícia Federal que investigue o caso.
 

Previdência 

 
Sobre a Reforma da Previdência, que tem sido chamada pelo governo federal de Nova Previdência, o presidente disse que "bate o martelo" nesta quinta-feira (14/2). Ele disse que a proposta sobre a idade mínima será definida amanhã, em consenso com a equipe econômica do governo. "Se houver mudança da idade, para 62 anos aos homem e 57 para mulher, haverá transição. Mas, amanhã a gente bate o martelo", disse. 

"Se dependesse de mim, eu gostaria de não fazer reforma nenhuma. Mas, caso não faça, o Brasil quebrará até 2023", completou.

Bolsonaro falou também que o que for definido para os militares das forças armadas será incluído também para policiais. "As propostas são parecidas. É um simples projeto de lei".

 
Colostomia 

 
Após 17 dias internado, para a retirada da bolsa de colostomia a qual esteve ligado desde setembro, quando foi vítima de uma facada durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG), o  presidente falou que a recuperação é sempre complicada. "A parte mais difícil foi justamente a recuperação. Durante as cirurgias eu estava sob efeito de anestésico. E o médico afirmou que foi uma verdadeira obra de arte", disse.

Ele lembrou, também, os episódios de febre e a pneumonia que adquiriu enquanto estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). "Isso atrasou muito a minha recuperação. Mas, agora estou pronto pra voltar ao batente", finalizou o presidente.

Vice-presidente

Perguntado sobre a atuação do vice-presidente Mourão enquanto ele esteve internado, Bolsonaro disse que ele passou tranquilidade. " Mourão foi escolhido como vice por mim, ele passou certa tranquilidade nesse período. Ele dá uma escorregada para conversar com a mídia. Mas, cada vez mais ele estará mais preparado para essas ocasiões".

Brumadinho/MG

O presidente lembrou a tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, e garantiu o governo está tomando providências para que as barragens brasileiras possam ter um plano seguro para evitar desastres. " Houve uma pronta resposta. Três ministros foram lá oferecer todo o apoio ao estado de Minas Gerais e tomaremos providências para evitar desastres", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade