Publicidade

Correio Braziliense

TRE de Minas Gerais suspende análise de contas de filiada ao PSL

Procuradoria Eleitoral informou que recebeu denúncia sobre suposto esquema envolvendo empresas do atual ministro do Turismo


postado em 14/02/2019 12:05 / atualizado em 14/02/2019 12:08

O ministro do Turismo fala à imprensa no CCBB(foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
O ministro do Turismo fala à imprensa no CCBB (foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

 

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) suspendeu, a pedido da Procuradoria Regional Eleitoral do Estado, o processo de análise das contas de campanha em Minas Gerais apresentadas pela candidata a deputada estadual derrotada Débora Gomes da Silveira, do PSL.

A Procuradoria Eleitoral justificou o pedido informando que recebeu denúncia sobre suposto esquema de destinação de recursos do Fundo Partidário para empresas que pertenceriam a assessores do atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, presidente do PSL em Minas.

O procurador Angelo Giardini de Oliveira cita ainda reportagem do jornal Folha de S.Paulo publicada no dia 4 de fevereiro, "noticiando o desvio de recursos públicos destinados ao PSL por meio das contratações realizadas por Débora Gomes em sua campanha".

"A mesma prática teria sido adotada por outras três candidatas", afirma o procurador no seu pedido, que iniciou investigação sobre o caso. O juiz relator da ação, João Batista Ribeiro, decidiu suspender o processo por seis meses.

Repasses


Débora Gomes recebeu na campanha R$ 72 mil transferidos pela direção nacional do PSL. Segundo a prestação de contas feita ao Tribunal Regional Eleitoal, ela gastou R$ 71.990 em 13 repasses para pessoas físicas e jurídicas, que oscilavam entre R$ 1,5 mil e R$ 26.290. O montante mais expressivo foi recebido pela I9 Minas Assessoria e Comunicação Integrada.

Os recursos, conforme consta nos dados enviados ao TRE, foram para "serviços publicitários de marketing" e de "pesquisas de avaliação".

A assessoria do PSL em Minas não respondeu aos contatos da reportagem até a conclusão desta edição. Débora Gomes, que obteve 885 votos na disputa, não foi localizada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade