Publicidade

Correio Braziliense

Quem é Floriano Peixoto, oitavo militar a se tornar ministro de Bolsonaro

Ex-comandante da missão de estabilização do Haiti, general Floriano peixoto assume Secretaria-Geral da Presidência no lugar de Gustavo Bebianno


postado em 18/02/2019 18:35 / atualizado em 18/02/2019 18:55

Floriano Peixoto, quando era comandante da Minustah(foto: Sophia Paris/ONU/Divulgação)
Floriano Peixoto, quando era comandante da Minustah (foto: Sophia Paris/ONU/Divulgação)
Com a saída de Gustavo Bebianno, exonerado nesta segunda-feira (18/2) pelo presidente Jair Bolsonaro, da Secretaria-Geral da Presidência, o governo federal passa a ter oito militares com o status de ministro (veja galeria de fotos). 

O substituto de Bebianno será o general da reserva Floriano Peixoto Vieira Neto, que era o secretário-executivo da pasta e, nos últimos dias, com o afastamento informal de Bebianno, assumiu o cargo interinamente.

Entre abril de 2009 e abril de 2010, Floriano Peixoto comandou a Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), comandada pela Organização das Nações Unidas. Anos antes, em 2004, foi chefe de operações do 1º contingente brasileiro no Haiti – Força de Manutenção de Paz.

Foi durante seu comando que aconteceu no Haiti o grande terremoto de 2010, que matou cerca de 100 mil pessoas. Na época, durante presidência de Luiz Inácio Lula da Silva, Floriano Peixoto afirmou que a presença brasileira no país ajudava a campanha do governo brasileiro para conquistar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

Segundo seu currículo, Floriano Peixoto é formado pela Academia Militar das Agulhas Negras, com mestrado em ciências militares e doutorado em política, estratégia e alta administração pela Command and General Staff College (CGSC).
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade