Publicidade

Correio Braziliense

Para analistas, troca de mensagens se configura como conversa

Presidente Jair Bolsonaro alegou que seu ex-ministro Gustavo Bebianno não poderia classificar envio de áudios em aplicativo como uma 'conversa'


postado em 20/02/2019 13:22

A troca de áudios de Bolsonaro com o ex-ministro Gustavo Bebianno pelo WhatsApp configura uma conversa(foto: Mauro Pimentel/AFP)
A troca de áudios de Bolsonaro com o ex-ministro Gustavo Bebianno pelo WhatsApp configura uma conversa (foto: Mauro Pimentel/AFP)

Apesar de o presidente Jair Bolsonaro negar, a troca de áudios com o ex-ministro Gustavo Bebianno pelo WhatsApp configura uma conversa, avaliam especialistas em comunicação e mídias sociais. "Uma conversa é a troca de informações em voz entre pessoas, independentemente do canal, telefone, Skype e também por WhatsApp", disse o especialista em comunicação digital Luli Radfahrer, da USP. 

Para o professor e pesquisador da PPGCOM-ESPM, Luiz Peres-Neto, existe uma distinção quando se inicia uma "conversa imediata" e quando ela é feita de forma indireta, como é o caso da troca de áudios. Mesmo assim, não deixa de ser uma interlocução entre duas ou mais pessoas. "A troca de mensagens já configura uma conversa, é uma troca de signos", afirmou. 

"Se uma pessoa decide revelar a conversa, não há nenhum tipo de infração no dispositivo jurídico regular. Quando se conversa com alguém, não se tem controle da resposta do outro, e nem do que ele vai fazer com o que você disse. A partir da existência da liberdade para uma troca linguística, está sujeito a isso", disse ele. "Fico preocupado com a utilização de um aplicativo como esse. Demonstra um certo amadorismo." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade