Publicidade

Correio Braziliense

Servidores da Valec protestam contra extinção da estatal ferroviária

Com a estatal ameaçada de extinção, servidores concursados protestam em frente ao Senado, onde o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participa de audiência


postado em 26/02/2019 15:19 / atualizado em 26/02/2019 15:37

(foto: Simone Kafruni/CB/D.A Press)
(foto: Simone Kafruni/CB/D.A Press)
Desde a semana passada, os servidores da Valec estão realizando protestos contra uma possível extinção da estatal ferroviária. Nesta terça-feira (26/2), a manifestação partiu da sede da companhia, na L2, pela Esplanada, e chegou ao Congresso Nacional. 

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que, segundo os servidores, pretende extinguir a empresa, participa de uma audiência na Comissão de Infraestrutura do Senado com o objetivo de “apresentar as diretrizes e prioridades da pasta”.

Segundo a comissão dos empregados concursados da Valec, alguns presentes à comissão do Senado, o ministro deve entregar, na próxima reunião da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), a proposta da extinção da Valec. A passeata foi barrada no Espelho D’Água do Congresso Nacional.

Na última sexta-feira (22), o servidores da Valec participaram de audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT) convocada para a discussão de  possíveis irregularidades no possível processo de extinção da empresa pública responsável pelas ferrovias brasileiras. Atualmente Valec possui cerca de 712 empregados efetivos e todos eles estão todos eles estão sob risco de perderem seus cargos.

Presente na comissão do Senado, um engenheiro da Valec, que preferiu não se identificar, disse que o objetivo do ministro com a extinção da estatal é consolidar o monopólio da Vale no setor ferroviário. “O setor agropecuário fica prejudicado com altos custos de transportes, e dezenas de outras empresas que não conseguem se estabelecer diante do monopólio das mineradoras, que já dura 24 anos”, afirmou.

Os funcionários alegam que são concursados, têm expertise e o objetivo de planejamento, construção, implantação e operação de ferrovias. As notícias sobre a ameaça de demissão têm preocupado tanto os concursados, quanto os empregados antigos e oriundos da Rede Ferroviária Federal (RFFSA) e do Grupo Executivo de Integração da Política de Transporte (Geipot), órgãos já extintos, cujos profissionais foram absorvidos pela Valec. 

Não houve, porém, até o momento, qualquer comunicação oficial sobre uma demissão em massa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade