Publicidade

Correio Braziliense

MP pede condenação de Adélio, mas com redução de pena por problemas mentais

Agressor do presidente Jair Bolsonaro é descrito como semi-imputável pelo Ministério Público


postado em 10/04/2019 11:16

(foto: Guilherme Leite/Folhapress)
(foto: Guilherme Leite/Folhapress)

Em um parecer enviado à Justiça, o Ministério Público Federal (MPF) se manifesta favorável a condenação de Adélio Bispo, que tentou matar o presidente da República, Jair Bolsonaro, durante a campanha eleitoral. No entanto, a órgão afirma que a sentença deve ser reduzida, em razão de problemas psicológicos.

De acordo com a TV Globo, o procurador do MPF em Juiz de Fora (MG) Marcelo Medina, enviou a Justiça Federal, na terça-feira (9/4), manifestação em relação ao assunto, sendo favorável a condenação desde que seja levado em consideração os problemas mentais apresentados em sete laudos psiquiátricos. 

A partir de agora, a defesa de Bolsonaro será ouvida, e em seguida a do agressor. O caso está sob responsabilidade do juiz Bruno Savino , da 3ª Vara da Justiça Federal em Juiz de Fora.

Em outubro do ano passado, o Correio revelou que um primeiro laudo, emitido por psiquiatras contratados pela família de Adélio, apontou que ele está acometido por "distúrbios que alteram sua percepção da realidade". Em março deste ano, um segundo laudo psiquiátrico, solicitado pela Justiça Federal, apontou que o agressor do presidente sofre de "Transtorno Delirante Permanente-paranoide", e por isso tem um quadro de insanidade mental, não podendo responder por suas atitudes. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade