Publicidade

Correio Braziliense

Carlos Bolsonaro e Haddad trocam farpas no Twitter

Rusgas virtuais começaram após o petista criticar Jair Bolsonaro em postagem em que chamou Bolsa Família de 'bolsa farelo' em publicação antiga e agora ter aumentado mais uma parcela do benefício


postado em 11/04/2019 17:08

(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)

 
Uma crítica de Fernando Haddad (PT) a Jair Bolsonaro (PSL) sobre o programa Bolsa Família resultou em troca de farpas com o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, nas redes sociais. O desentendimento virtual foi na tarde desta quinta-feira (11/4).

Haddad fez uma postagem em que questionava o presidente sobre uma postagem feita em 2010 em que chama o programa Bolsa Família de “bolsa farelo” e afirmava que o pagamento do valor serviria para reeleger o mesmo grupo que estava no poder. Na época, o ex-presidente Lula comandava o país e teve emplacar sua sucessora, a ex-presidente Dilma Rousseff.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

“Será que 1/12 do bolsa-farelo (13ª parcela) vai reverter sua situação no Nordeste? Lembrando que você não reajustou o benefício nem pela inflação e seu governo ofende os nordestinos a todo instante?”, disse, citando o tuíte de Bolsonaro, em que ele afirmava; “O Bolsa-farelo (família) vai manter esta turma no Poder”. O presidente anunciou na semana passada que os beneficiários passariam a receber mais uma parcela, a 13º, no final do ano.

A postagem fez com o filho do presidente e vereador no Rio de Janeiro respondesse com “Chora Marmita”, insinuando que Fernando Haddad, derrotado por Jair Bolsonaro na última eleição para à Presidência, fosse uma espécie de “agregado” de Lula.

Por sua vez, Haddad retrucou, perguntando sobre o primo de Carlos. “Priminho tá bem?”, em referência a Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio, visto em fotos nas redes sociais ao lado de Carlos. Postagens insinuam que o filho do presidente e o primo tem um relacionamento amoroso.

Na sequência, Carlos insistiu: “Continua chorando Marmita?”. E Haddad emendou: Ao invés de dar bandeira, faça algo pelo Rio; pelas vítimas das enchentes, pela família trucidada em Guadalupe. Não promova a intolerância: cresça e fale com seu pai.”

A troca de farpas entre os dois rendeu centenas de comentários que variavam o apoio a cada um deles.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade