Publicidade

Correio Braziliense

Janaina Paschoal sai do grupo de WhatsApp do PSL e fala em deixar bancada

Deputada disse que parlamentares do partido estão "cegos" e questionou a sanidade do presidente Jair Bolsonaro. Mais tarde, no entanto, negou que tivesse a intenção de sair do partido


postado em 20/05/2019 17:46 / atualizado em 21/05/2019 14:35

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
A deputada estadual em São Paulo Janaina Paschoal está fora do grupo de Whatsapp do seu partido, o PSL, mesmo do presidente Jair Bolsonaro. A decisão, aliada a críticas feitas pela advogada, que esteve à frente do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, chegou a ser vista como uma ameaça de deixar a legenda, o que mais tade foi negado por ela. 

Em troca de mensagens com os colegas de partido, divulgada pelo site da rádio Jovem Pan, ela demonstrou insatisfação com posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro, principalmente a publicação de um vídeo em que ele é descrito como "enviado de Deus" pelo pastor francês Steve Kunda.

No grupo, Janaina questionou a sanidade de Bolsonaro após a publicação do conteúdo de caráter messiânico. “Eu peço que vocês assistam e respondam: ‘O senhor, um presidente da República, na plenitude de suas faculdades mentais, publicaria um vídeo desse?’”, escreveu.

Ainda em tom de desabafo, pouco antes de sair do grupo, Janaina, que teve a maior votação da história de São paulo, disse que os colegas de partido “estão cegos” e “presos na bolha”. "Estou saindo do grupo, vou ver como faço para sair da bancada. Acho que os ajudei na eleição, mas preciso pensar no país. Isso tudo é responsabilidade". Apesar da atitude, Janaina Paschoal disse que o gesto não significa rompimento com Bolsonaro, mas uma tentativa de "salvar o governo".

Partido "plural"

Mais tarde, no entanto, Janiana negou que fosse deixar o PSL, em uma postagem feita no Twitter. "Estou recebendo  mensagens, indagando se eu teria saído do PSL, não saí. Saí do grupo de Whatsapp. Só isso. Como o Brasil, o partido deve ser plural", escreveu.



Antes, também pela rede social, a deputada estadual tinha feito críticas à condução do governo. “O governo se colocou na situação em que está”, tuitou Janaina, nomeando a situação de “imobilismo”. “E chama as pessoas para tirá-lo do imobilismo. Por quê?”. Na sequência de publicações, a deputada relembrou episódios que, na sua visão, seriam erros cometidos pelo governo e que ajudaram a compor o quadro atual.

Janaina citou o apoio do PSL a Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara Federal. Na ocasião, ela diz ter apoiado “candidatos mais identificados com os ideais pelos quais lutamos” e disse que o governo iria se “arrepender amargamente” pelo apoio dado a Maia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade