Publicidade

Correio Braziliense

No Nordeste, Bolsonaro acena ao Congresso e recebe críticas de governadores

Em primeira viagem na região após tomar posse, o presidente ainda pediu para que prefeitos e governadores trabalhem pela aprovação da reforma da Previdência


postado em 24/05/2019 14:00

(foto: Peu Ricardo/Diário de Pernambuco)
(foto: Peu Ricardo/Diário de Pernambuco)
 Na primeira visita ao Nordeste desde que tomou posse, nesta sexta-feira (24/05) o presidente Jair Bolsonaro pediu a governadores e prefeitos para que trabalhem pela aprovação da reforma da Previdência, argumentando sobre a necessidade de aprovação do projeto para reduzir as desigualdades no País. 

"Temos um desafio pela frente que não é meu. É também dos senhores governadores e prefeitos, independentemente de questão partidária. É a reforma da Previdência, sem a qual não podemos sonhar em botar em prática algo que estamos sonhando neste momento", afirmou Bolsonaro em Recife.

Sobre a tramitação da reforma no Congresso, Bolsonaro voltou fez novo aceno aos parlamentares, que andavam reclamando da falta de diálogo com o Planalto. "É legítimo o Parlamento fazer mudanças (no texto da reforma)", disse o presidente, que também elogiou ministros de Estado. "Eu apenas sou o maestro de uma orquestra." 

O presidente reuniu-se nesta manhã com dez governadores, que integram o conselho deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). A maioria dos participantes é de partidos que fazem oposição ao governo na região, onde Bolsonaro registra seus piores índices de popularidade. Oficialmente a viagem marca o lançamento do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE).
 

Críticas


O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou o governo federal durante a primeira viagem oficial do presidente da República, Jair Bolsonaro, ao Nordeste. Dino disse que o presidente "paralisa o país" e aproveitou para afirmar que "o Governo Bolsonaro tem uma visão sectária, extremista e divisionista". 

Além do maranhense, também esteve em encontro com Bolsonaro o governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), que se disse preocupado com a região e com a efetivação do Plano de Desenvolvimento Regional, por conta da paralisação da economia brasileira. 
 
"Popularidade não se relaciona com dinheiro, mas com capacidade de liderar", afirmou Renan Filho. Bolsonaro participa ainda nesta sexta-feira de reunião do conselho deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade